O que é Capitalismo Consciente?

Neste texto você vai encontrar informações sintetizadas do Movimento do Capitalismo Consciente. Falarei sobre a origem, os pilares principais, sobre informações sobre o manifesto, sobre minhas percepções sobre o movimento e como você pode se associar no Brasil.

“Imagine todas as pessoas
  Vivendo a vida em paz
  Você pode dizer
  Que sou um sonhador
  Mas não sou o único Tenho a esperança de que um dia
  Você se juntará a nós
  E o mundo será como um só” (Imagine, John Lennon)

Capitalismo Consciente Brasil
Capitalismo Consciente Brasil – Fonte: https://www.ccbrasil.cc

Introdução

Iniciar um texto com um trecho da letra da música Imagine parece um tanto incomum quando se fala em organizações.

Vivemos em um mundo de transformação onde novas formas de relações humanas parecem trazem emoção e sensibilidade aos ambientes corporativos.

Imaginar uma forma mais humana de vivenciar o capitalismo criando ambientes mais solidários e inclusivos, além de buscar o bem-estar de todos e contribuir, de forma sustentável, para sociedade e o planeta já é uma realidade.

 Depois de mais de 20 anos no mundo corporativo, minha passagem pelo mundo acadêmico e minhas pesquisas no doutorado, contribuíram para que eu  buscasse alternativas para a construção de ambientes organizacionais mais humanizados. Isso para mim sempre muito importante em toda a minha trajetória profissional.

Percebi, ao longo da jornada da vida que estamos sempre em movimento e que estar aberto ao novo pensar pode ser transformador e ao mesmo tempo, libertador.  

Rotulada, muitas vezes, por ser sonhadora e acreditar em valores que iam além do lucro, segui em frente, mesmo sabendo que as rotas eram repletas de obstáculos. Toda a jornada me fez mais forte, não tenha dúvida!

Assim, como um fluxo de um rio, vamos deixando fluir nossa essência e nos aproximando de pessoas, criando comunidades unidas por valores e crenças comuns. Dento da riqueza da diversidade humana encontramos elos que nos aproximam uns dos outros, o que chamo aqui de amor pela vida.

Assim, eu inicio a contextualização sobre o que é o Capitalismo Consciente!   

1. O que é Capitalismo Consciente?

O Capitalismo Consciente é uma forma de praticar uma condução prática às organizações que gera, simultaneamente, diferentes valores para os  stakeholders, tais como o financeiro, ecológico, social, cultural, emocional, ético e espiritual. É uma visão mais ampla da responsabilidade das organizações para transformar o mundo. Estamos vivendo um mundo de desigualdades e precisamos assumir, como líderes conscientes, o protagonismo dessas transformações necessárias para diminuir as lacunas sociais que o capitalismo tradicional gerou, até então, no mundo.

2.   Qual a origem do Capitalismo Consciente?

O movimento global do Capitalismo Consciente surgiu nos Estados Unidos, a partir de estudos acadêmicos de Raj Sisodia, Jaf Shereth e David Wolf. A ideia inicial das pesquisas foi investigar como algumas empresas conseguiam manter a alta reputação e a fidelidade dos clientes sem grandes investimentos em marketing. Em 2007 com a contribuição de Mackey, o estudo evoluiu para o livro “Firms of Endearment”, traduzido no Brasil com o título de “Empresas Humanizadas”, onde a proposta central era mostras como as empresas lucram a partir de paixão e propósito.

Assim, iniciava-se o movimento como organização formal em 2010. No Brasil, em 2013, o Capitalismo Consciente tomou-se mais conhecido, pois alguns empresários perceberam a importância da transformação da cultura de seus negócios, aderindo às práticas relacionadas à sustentabilidade ambiental, social e econômica.

Vivemos em um mundo tão acelerado que, às vezes não paramos para pensar em outras forma de imaginar a vida, retomando a letra da música de John Lenon, mas em vários locais do mundo, existem pessoas comprometidas com a transformação de pessoas e das organizações.  O capitalismo Consciente é uma filosofia de gestão de negócio pautado em 4 pilares:

3. Pilares do Capitalismo Consciente

Vou descrever um pouquinho cada um dos pilares para você entender melhor:

  • Propósito Maior: muito mais que gerar lucro, o propósito abarca questionamentos sobre a existência da empresa no mundo. Qual o legado que queremos construir em nossas organizações?

O propósito maior é a aglutinar que mantém a empresa unida, o líquido amniótico que nutre a vida de vida a força organizacional. O propósito também pode ser um ímã que atrai as pessoas para o negócio, mantenho-as alinhadas. A busca do propósito geralmente inicia desde a empresa nasce. O que acontece é que, muitas vezes, é difícil de tornar explícito, mas normalmente as empresas já possuem uma finalidade tácita a motivar a motivar a criação do empreendimento. Aos poucos, na jornada empreendedora, os fundadores vão tomando consciência da sua razão de ser.

Para que empresas e pessoas possam desfrutar de um maior senso de realização, a expressão de um propósito necessita constar não somente na mente, mas também no coração e, principalmente, nas decisões e ações implementadas dia a dia.

Um dado importante é percebermos que agir de acordo com um propósito exige responsabilidade , ousadia e mudança de hábitos. A jornada nos impulsiona a nos questionarmos sobre o que estamos fazendo e construindo.

  • Cultura Consciente: é a incorporação de valores e práticas abarcadas pelas empresas e que conectam os stakeholders ao seu propósito, às pessoas e aos processos.

Acredita-se que a cultura representa o espaço onde reside a riqueza e a complexidade das pessoas e onde o aspecto humano tem infinita relevância. Dessa forma, pode-se dizer que a cultura é poderosa dentro de cada organização e, além disso, pode-se afirmar que não existe uma única cultura, mas uma mescla de culturas que se entrelaçam dentro da organização.

As culturas fortes dentro da organização apresentam senso de confiança, de responsabilidade, de cuidado, transparência, integridade, lealdade, igualdade.

As culturas organizacionais favorecem a descentralização, modificam o papel dos gestores, elevam a inteligência do grupo, gerando maior autonomia e inovação.

  • Liderança Consciente: lideranças que gostam de servir ao propósito da organização e criando uma cultura de confiança e cuidado entre os stakeholders, clientes e colaboradores.

A organização é um coletivo de pessoas que busca um objetivo comum para fazerem as transformações em si mesmos e contribuir para que o propósito comum permaneça vivo durante a jornada.

As lideranças são fundamentais neste sentido, entendendo, de forma mais abrangente que liderança é toda a pessoa que, independente do cargo que possui, influencia pessoas .

A liderança é muito mais que gestão, pois além da eficiência e implementação de ações, os líderes assumem um papel de agentes transformadores e com uma visão sistêmica ampliada do todo. O nível de uma liderança consciente tem estreita relação com a consciência individual de cada líder dentro da empresa.

Comenta-se também que para este líder mais consciente temos uma abordagem mais abrangente para o desenvolvimento das inteligências pessoais, tais como a inteligência emocional, espiritual, sistêmica e servidora. Sugere-se desenvolver uma capacidade de amar e cuidar, coisa que parecia muito distante do mundo trabalho.

  • Orientação para Stakeholders: negócios que geram valor para todas as partes interessadas (Stakeholders).

Trata-se de entender este novo modelo de relacionamento com os parceiros, clientes, investidores, fornecedores e todos os que se relacionam com seu negócio. Acredita-se que olhar as relações de negócio com o espírito de “ganha ganha” torna nossa empresa mais rentáveis e colaborativas.

A elevação do nível de consciência de cada empresa, leva à construção de ações voltadas ao social, ambiental e à comunidade local. A visão mais ampliada de desenvolvimento coletivo e de cuidado com as pessoas e com o planete m prol da redução das desigualdades.

4. Manifesto

Vou deixar aqui uma imagem que sintetiza, em um pequeno parágrafo, o manifesto desta filosofia apoiado nos pilares que vimos anteriormente. O manifesto está no site do Capitalismo Consciente Brasil.

capitalismo consciente: manifesto
capitalismo consciente: manifesto

5. Por que eu sou embaixadora do Capitalismo Consciente?

Pertencer ao movimento do capitalismo consciente é um orgulho para mim porque encontro nele uma perspectiva de desenvolvimento humano nas organizações.  Não é uma seita, uma religião, apenas uma comunidade que por meio de valores que primam por uma gestão mais humana, ética e sustentável para reduzir as desigualdades. É um movimento que evidencia uma nova forma de investir e fazer negócios no Brasil, gerando valor à empresa, à sociedade e ao planeta.

Diversos estudos e pesquisas vem demonstrando, com dados quantitativos que não estamos falando em utopia, mas uma realidade possível que traz prosperidade, engajamento e rentabilidade às empresas.

Junte-se a este movimento que conecta pessoas e organizações que buscam transformar nosso país em um lugar mais harmonioso e receptivo que valoriza o ser humano, as empresas, a sociedade e todo o planeta.

Finalizando este texto, convido a todos a compartilharem suas jornadas individuais e coletivas, ressignificando o modelo do capitalismo tradicional, onde impera apenas o lucro, em busca de um capitalismo mais humanizado. Junte-se a este movimento.

6. Como eu faço para ser associado do Capitalismo Consciente? Quais as vantagens de ser um associado(a)?

Associar-se é um movimento que você faz rumo à evolução da consciência humana. Você pode associar-se como pessoa física e também como pessoa jurídica. Existem diversas formas de estar em contato com o Instituto, visto que o trabalho principal do Movimento Capitalismo Consciente vem ao encontro de sensibilizar para a necessidade da nossa elevação de consciência humana para a geração do bem.

As organizações associadas ao Instituto se identificam, de forma voluntária ,com os pilares do Capitalismo Consciente e somam esforços em nossa comunidade para transformar o jeito de fazer investimentos e negócios no Brasil, para diminuir as desigualdades.

O Capitalismo Consciente não certifica empresas, mas busca sensibilizar e instrumentalizar as lideranças que tomam as decisões e efetivamente contribuem para uma prática de negócios mais consciente.

Dentre as prinicipais vantagens em associar-se estão:

Benefícios

  • Acesso ao selo para uso em assinaturas de e-mail e cartões de visita.
  • Conteúdo online quinzenal.
  • Descontos em livros livro.
  • Acesso ao drive do ICCB com apresentação institucional ( Emb. 3)
  • Acesso aos eventos mensais presenciais gratuitamente. ( Emb. 3)
  • Aplicação de logo em nosso quadro de associados. ( Empresas)
  • Acesso ao Fundo de incentivo e aceleração do ICCB. ( Empresas )

Associe-se!

7. Onde eu encontro os livros do Capitalismo Consciente?

Os livros do capitalismo consciente são opções para você entender um pouco mais sobre o movimento do capitalismo consciente de forma prazerosa por meio da leitura de uma abordagem inspirada nos pilares do movimento CC. Brasil. Para comprar os livros, você pode acessar este Link.

Minha biblioteca do Capitalismo Consciente
Minha biblioteca do Capitalismo Consciente

Caso você tenha interesse em saber mais sobre o CC Brasil, é só fazer contato comigo ou com o Instituto CC Brasil.

Conclusão

O movimento Consciente é, ao meu ver, uma forma de pensar e agir com espírito do bem. Estou aqui, escrevendo sobre esta comunidade que não acredita mais neste capitalismo selvagem que traz desigualdades. Estamos em comunidade justamente para fazer essa revolução acontecer. Acreditar em um mundo melhor, principalmente no Brasil, é o que precisamos para avançar em uma cultura mais humanizada e em ações econômicas que nos tragam resultados, mas acima de tudo, cultivem o amor e o propósito deste legado de ser agentes de transformação de nosso tempo. Nossas empresas são fundamentais para que possamos acelerar essa transformação e evolução de nossa sociedade.

Dra. Processos e Manifestações Culturais

Embaixadora Certificada do Capitalismo Consnciente Brasil.

Mentora de Negócios e Carreiras

#capitalismoconsciente #humanizadas #transformação #novomodelo #negócios # Raj Sisodia #Brasil # David Wolf # Jaf Shereth #pilares #manifesto #associar-se

Fonte: https://www.ccbrasil.cc

A transformação que queremos no mundo

O futuro é feminino! Vejo muitas pautas falarem sobre isso. A mulher ficou por muito tempo à margem da vida pública. A ela era oferecido o ambiente privado, o lar e o cuidado dos filhos e familiares. Mas pensando mais profundamente, fiquei pensando a razão pela qual o futuro é feminino.

O futuro é feminino é uma frase muito mais ampla e vai além da questão de gênero! O futuro é feminino nos permite aceitar que todas as forças femininas no ser humano podem fazer emergir um mundo mais colaborativo e harmonioso. As forças femininas são essências para essa transformação de mundo.

Ao trocarmos o paradigma do “eu ou você” por “eu e você” a nossa força feminina emerge em cada ser. É interessante que durante nossa jornada pela vida percebemos que nossas lutas diárias pessoais são lutas diárias de todos. Estamos em uma conexão profunda em nosso Planeta Terra.

O convite ao equilíbrio, ao FLOW e ao propósito de vida são fundamentais para entender a importância das forças femininas. Fico emocionada em poder ser protagonista desse novo tempo. Um tempo que chama e clama por mudanças, respeito, solidariedade e, acima de tudo, pela igualdade de direitos e responsabilidades para todos os seres humanos.