Início     Sobre     Blog     Projetos     Contato    

Eliane Davila - Conteúdo | Inovação | Empreendedorismo

5 sites para comprar arte NFT

Você deseja começar a investir no mundo das artes digitais, mas não sabe onde e como comprar artes NFT? Os famosos tokens não-fungíveis estão ganhando cada vez mais espaço no mercado digital e transformando muitos investidores em milionários. Por conta disso, separei 5 sites para que você fique por dentro de como funciona esse mercado e assim começar a comprar as suas artes NFT.

Deseja comprar arte NFT? Conheça 5 sites para começar
Deseja comprar arte NFT? Conheça 5 sites para começar

As artes digitais em NFT alcançam cada vez mais novos adeptos pelo mundo e atraem o interesse de diversos entusiastas da tecnologia e da arte. 

Além disso, com o grande avanço das inovações tecnológicas e a popularização das criptomoedas, os NFTs atingiram novos números no mercado no ano de 2021, ultrapassando recordes de faturamento.

Os NFTs, também conhecidos como tokens não-fungíveis, fazem parte do universo do blockchain, com suas características únicas e distintas dos demais tokens e criptomoedas. 

Com o grande leque de possibilidades que os NFTs oferecem, o faturamento neste mercado se tornou um atrativo para diversos públicos, principalmente investidores que buscam por novidades e colecionadores de artes digitais.  

Estar aberto para o mundo das artes digitais é estar disponível para novas experiências artísticas e às novas oportunidades do mercado, que está cada vez mais atrelado ao digital e suas inovações. 

Dessa forma, existem diversas plataformas na web para quem busca vender, investir e comprar NFTs, cada uma com suas indicações específicas.

Para quem está iniciando no mercado de NFTs, é importante saber diferenciar as plataformas confiáveis e distinguir quais sites são mais indicados e acessíveis para negociar tokens não-fungíveis. 

Pensando nisso, separamos 5 sites mais indicados para quem deseja comprar artes digitais em NFTs.

Opensea

Opensea
Opensea

A plataforma Opensea está no topo das negociações de NFT no mundo todo e é considerada uma das startups de blockchain mais relevantes do mercado atual. Criada em 2017 pelos norte-americanos Devin Finzer e Alex Atallah, a Opensea já é avaliada em 13,3 bilhões de dólares, segundo estimativas da Forbes

O site funciona como um marketplace de NFTs, onde os mesmos são vendidos por meio da criptomoeda Ethereum, com a carteira MetaMask, que deve ser cadastrada pelo usuário já nos primeiros passos para criação da conta na Opensea.

A plataforma possui uma interface amigável e é acessível para todos os públicos. E uma das principais vantagens do site é justamente a facilidade e a ampla oferta de artes digitais disponíveis. 

Além disso, a Opensea é uma das plataformas mais seguras e uma das principais formas de comprar e também vender artes digitais em NFTs

Rarible

Rarible
Rarible

Fundada pelos russos Alexander Salnikov e Alexei Falin, a plataforma Rarible ganhou destaque nos últimos meses no universo dos NFTs, principalmente pela nova funcionalidade que visa reduzir as taxas de gás Ethereum.

Dessa forma, garante com que os usuários criem tokens não- fungíveis com custo zero. Ao contrário do que muitos imaginam, a Rarible já esteve no topo do mercado de NFTs, liderando até mesmo a OpenSea por um breve período.

O Rarible funciona por meio da criptomoeda RARI, que é seu token nativo. Além disso, a plataforma está entre as ferramentas que melhor administram os NFTS, ocupando lugar relevante no ranking de favoritos no mercado de NFTs.

Um dos grandes diferenciais da plataforma é justamente o seu token de governança RARI e o incentivo à movimentação do mercado de NFTs, pois cada vez que um usuário compra ou vende NFTs eles ganham moedas RARI.

Para quem possui moedas RARI, a plataforma Rarible é a principal do mercado para negociação de tokens não-fungíveis. Assim como na Opensea, é necessário conectar sua carteira MetaMask e começar a criar, vender e comprar NFTs.

Apesar de ainda não ter tantas funcionalidades como a Opensea e ser indicado para usuários que já possuem conhecimento prévio no mercado de NFTs, o Rarible é uma plataforma emergente no mercado da arte digital em NFTs no mundo que promete se destacar ainda mais nos próximos anos.

Mintable

Mintable
Mintable

A plataforma Mintable foi fundada por Zach Burks, um grande entusiasta das criptomoedas. O grande diferencial da plataforma para as demais é a possibilidade de comprar e vender NFTs não só em Ethereum (ETH) como também em Zilliqa (ZIL), o que amplia as possibilidades na carteira.

Além disso, assim como a Rarible que gratifica seus usuários com a moeda RARI a cada venda ou compra realizada na plataforma, a Mintable também recompensa os usuários nas compras de NFT com um token MINT.

Outra vantagem desse marketplace é o rendimento de uma taxa de 2,5% até 10% para os usuários que vendem NFTs na Mintable.

SuperRare

O SuperRare representa um mercado de artes digitais mais exclusivo, pois os artistas passam por uma longa análise prévia para adentrar a plataforma. 

Apesar de possuir menos opções de obras e artistas que as demais, o site atrai os colecionadores que buscam pela máxima autenticidade das obras digitais em NFT. Para ingressar na rede como artista é necessário preencher um formulário inicial e aguardar validação.

A plataforma permite o pagamento apenas em Ethereum e os NFTs podem ser vendidos a preços fixos ou por meio de lances, como um leilão.

Além disso, é possível que os NFTs sejam um investimento a longo prazo para alguns artistas e investidores, pois permite o lucro de taxa sobre os preços de revenda da arte digital em NFT.

Foundation

Foundation
Foundation

Assim como o SuperRare, o Foundation é mais um dos marketplaces no mercado de NFTs que possuem um conjunto de artistas exclusivos, escolhidos por meio de uma série de critérios da plataforma.

Além disso, o site possui uma ideia democrática de acesso às artes digitais, possibilitando com que novos artistas adentrem o mercado dos NFTs e conecta colecionadores e entusiastas da arte do mundo inteiro com artistas desconhecidos.

Para os usuários que desejam comprar NFTs na plataforma basta cadastrar uma carteira MetaMask ou Wallet Connect.

Conclusão

O futuro das artes está cada vez mais imerso e atrelado ao digital, como pode ser visto não só com o crescimento dos NFTs, mas também com o desenvolvimento do metaverso e as demais inovações digitais.

Existem dezenas de marketplaces de NFTs onde é possível consumir, vender e até mesmo criar artes digitais, portanto, conhecer as principais delas e saber escolher a mais adequada é fundamental para quem está iniciando no mercado de NFTs. O ano de 2022 promete um cenário ainda mais promissor para as artes digitais em NFTs, pois os tokens não-fungíveis estão revolucionando o mercado e colocando em evidência novos artistas da arte contemporânea.

FAQ

Quais as melhores plantaformas para comprar artes em NFTs?

Opensea, Rarible , Mintable, SuperRare, Foundation.

Você sabe o que é NFT?

Tokens não-fungíveis .

O que o NFT proporciona às artes?

Uma nova forma de expressão e manifestação das artes no mundo.

O mercado da arte digital em NFT no mundo

Você está por dentro sobre o mercado de arte digital NFTs pelo mundo? Sabia que é um mercado em expansão? O mercado de arte digital em NFT se mostra extremamente promissor e vem mudando a forma como as pessoas produzem e consomem arte pelo mundo.

Sabia que até bandas de rocks já lucram com as artes digitais? Isso é o que afirmam as bandas King os Leon e Megadeth. Além das bandas, outras formas de artes em NFT também já foram destaques pelo mundo como peças digitais, jogos de basquetes e até mesmo primeiro tweet da história.

O mercado da arte digital em NFT no mundo
O mercado da arte digital em NFT no mundo

Quer saber mais sobre o assunto? Então acompanhe o meu novo artigo e fique por dentro dos mundo da arte digital em NFT. Assim, eu inicio dizedo que a tecnologia e o digital avançam de forma inimaginável a cada ano que passa, algo que surpreende até mesmo os entusiastas da tecnologia e pessoas que trabalham com o digital. 

Os NFTs representam mais uma dessas grandes inovações tecnológicas do mundo contemporâneo, assim como as criptomoedas, o metaverso e todo esse universo e ecossistema digital.

Hoje em dia, as pessoas já nascem imersas no digital, conectadas às redes sociais até mesmo antes de nascer com páginas já criadas pelos pais nas redes sociais. A interação digital e o consumo das redes tomaram proporções muito maiores e uma dimensão social expressiva.

O digital e a tecnologia influenciam hoje não só no dia a dia das pessoas e na praticidade de suas tarefas, mas também na forma como se comunicam com o outro, nas suas relações interpessoais, nos meios de trabalho, na economia, na sociedade e também na sua relação com a arte.

Sabendo disso, é possível observar que é justamente a junção dessas temáticas, em especial a tecnologia e a arte que deu origem às NFTs e às artes digitais. 

Afinal, assim como todos os aspectos da sociedade e do consumo, a arte está intimamente atrelada ao digital no mundo contemporâneo, pois ela reflete o comportamento, as ideias e os anseios da sociedade atual.

Quer entender mais sobre como funcionam os NFTs e como as artes digitais estão impactando o mundo? Separamos algumas ideias centrais sobre o tema, como ele funciona e quais seus impactos na economia.

O que é NFT?

NFT representa a sigla para “non fungible token”, ou seja, token não fungível. Ao contrário das outras criptomoedas como a bitcoin, os NFTs são intercambiáveis, itens que não podem ser substituídos, pois são completamente únicos.

Para entender melhor como funcionam os NFTs basta imaginar um selo de autenticidade digital que comprova e atesta itens como músicas, jogos, artes digitais, dentre uma infinidade de coisas. 

A relação dos NFTs com as artes é direta e íntima, pois são dois temas que carregam o valor e o significado máximo da exclusividade, que é subjetivo.

Os NFTs além de serem uma tendência mundial, são algo que atrai muitos artistas e entusiastas digitais que prezam pela autenticidade, assim como os colecionadores. 

As pessoas que colecionam itens específicos são exemplos de perfis que se interessam pelos NFTs, justamente por essa ideia de possuir algo que são mais do que raros no mundo, mas sim totalmente únicos.

Ter um NFT equivale a ter a escritura e a propriedade de um imóvel, sendo a pessoa a dona de um ativo intercambiável, singular e indivisível no mundo todo.

O sucesso dos NFTs no mundo

As obras digitais e os NFTS causam impacto para inúmeras áreas, desde a comunicação e o marketing até a cultura, o mercado de entretenimento e da arte.

A cada nova semana, há inúmeras novas artes digitais e NFTs valendo fortunas, artistas que estão se reinventando e se aventurando em novas formas de produzir arte e se relacionar com ela de uma forma diferente, mais digital e interativa.

Músicos e bandas como o Kings of Leon e Megadeth também experienciaram o mercado de NFTs com versões exclusivas de álbuns e peças digitais, arrecadando mais de 2 milhões, como foi o caso da banda Kings of Leon.

Além da música, jogos de basquete com lances do Lebron James também foram vendidos como NFT, assim como o primeiro tweet da história, feito pelo Jack Dorsey, CEO do Twitter.

O conceito por trás do sucesso dessas NFTs e o alcance das obras digitais no mundo é um reflexo das demandas sociais e de comportamento presentes no mundo contemporâneo. 

O digital revolucionou a forma como as pessoas vivem, consomem e apreciam a arte. E os NFTs trouxeram uma nova perspectiva de exclusividade que está em outro patamar.

Blockchain e os NFTs

O blockchain é traduzido para o português como “cadeia em blocos” e é por meio do blockchain que opera a tecnologia dos NFTs, assim como as outras criptomoedas. Esse sistema funciona basicamente como um livro-razão ou um livro contábil digital.

Por ser extremamente seguro e inviolável, o blockchain foi desenvolvido justamente para evitar violações e roubos, algo que acontece com frequência nos ativos fora do ambiente digital.

Por meio da tecnologia do blockchain, é possível fazer transações de valores digitalmente, além de ser o facilitador no registro de posse dos NFTs.

Dentre as principais vantagens do blockchain estão a segurança, a confiabilidade e a sua eficiência, algo que não é encontrado em nenhum outro sistema. Dessa forma, todas as transações são registradas permanentemente, ou seja, não podem ser alteradas ou excluídas.

NFT na mira dos investidores

No início, quando surgiram os NFTs, eles eram vistos pelos investidores como algo inválido e excêntrico. Hoje em dia, a ideia do excêntrico ainda permanece para alguns, porém, a sua validade e autenticidade foram itens mais do que comprovados ao longo dos anos.

Apesar de ter chegado “tímido” no mercado financeiro, o NFT já configura uma tendência e está na mira dos investidores mais atuais e antenados. 

Que o ecossistema das criptomoedas são grandes potenciais lucrativos todo mundo sabe, porém é preciso destacar os NFTs como uma das grandes oportunidades lucrativas do momento, mais do que qualquer outra criptomoeda.

O fato é que as moedas digitais estão causando uma revolução também no mercado financeiro, pois viabilizam coisas inimagináveis no mundo físico como, por exemplo, a durabilidade eterna de um ativo.

Dentre os principais tokens que estão na mira dos grandes investidores, o setor de games se destaca como um dos grandes responsáveis pelas negociações de NFTs nos últimos meses.

Alguns jogos em NFT como o “Axie Infinity” movimentaram a economia, pois os jogadores treinavam e vendiam seus personagens dentro do jogo. 

Conclusão

Apesar das grandes vantagens dos NFTs, o tema ainda segue em especulação por artistas, empresários, investidores e entusiastas digitais. Alguns artistas apontam para a restrição das artes digitais, colocando os idealizadores das obras como promotores de tokens mais do que artistas.

Em contrapartida, muitas pessoas visualizam grandes oportunidades com a tendência dos NFTs, principalmente os músicos que poderão lucrar muito mais ao evitar as gravadoras e oferecer materiais exclusivos fora dos streamings tradicionais.

Assim como toda nova invenção, os NFTs estão protagonizando uma nova onda no mundo das criptomoedas e são pauta de vários debates atuais, seja no mercado das artes, do marketing e até mesmo na sociedade como um todo. Por fim, é importante visualizar os NFTs para além da sua inovação e sua funcionalidade, mas sim como uma nova revolução digital que promete transformar o mercado em sua totalidade e gerar inúmeras oportunidades de lucro.

Metaverso – Tudo que você precisa saber sobre o tema

Ultimamente, muito se fala em metaverso e as mudanças que isso irá trazer. Mas afinal, você sabe o que é metaverso? Neste post eu explico com detalhes!

Metaverso - Tudo que você precisa saber sobre o tema
Metaverso – Tudo que você precisa saber sobre o tema

O mundo contemporâneo caminha para transformações revolucionárias que envolvem a digitalização e a tecnologia. Com uma geração cada vez mais imersa no meio digital, todas essas mudanças se tornam acontecimentos inevitáveis e naturais. Um novo mundo nos espera com o Metaverso.

Nosso comportamento online ajuda a moldar a sociedade, assim como a sociedade molda o comportamento online, pois são dois elementos que se complementam e que fazem parte de uma estrutura sociodigital.

A inteligência artificial é uma potente agente transformadora no mundo atual, pois além de ser uma inovação revolucionária, ela vem se desdobrando em inúmeros outros elementos e criando coisas muito diferentes do que tinhamos visto até então.

Dentre esse mundo de novas possibilidades, a inteligência artificial pode contribuir desde a interpretação da linguagem das baleias até a criação de um novo ecossistema e um novo universo digital.

O metaverso é um desses novos ecossistemas digitais que irá impactar todos os fatores da vida humana, principalmente as relações sociais e a comunicação.

Conhecido como a próxima etapa da rede mundial, o metaverso se tornou um dos temas mais populares e debatidos nos últimos dias, após um pronunciamento de Mark Zuckerberg sobre a mudança do nome do Facebook para Meta, dando a largada comercial para o metaverso.  

Mas afinal, o que é metaverso e o que ele impacta na sociedade? Pensando nisso, separamos algumas informações importantes sobre essa nova onda digital e o que ela promete para o futuro.

O que é Metaverso?

O metaverso é uma aposta capaz de proporcionar uma imersão completa das pessoas no espaço digital. 

Mais do que ter acesso ao digital e compartilhar das suas ferramentas, o metaverso busca estreitar ainda mais o mundo físico-digital e fazer com que as pessoas vivenciem de fato um mundo digital.

Ou seja, pessoas que trabalham de forma remota, poderão até mesmo caminhar pelo ambiente do escritório de forma totalmente digital, algo que poderá suprir a carência de relações interpessoais que é uma das principais queixas do trabalho remoto.

Nos filmes e obras de ficção científica o metaverso já era algo figurado, mesmo que de forma utópica, algo que pode se tornar possível agora com o avanço da tecnologia e da inteligência artificial.

O termo “metaverso” foi concebido pela primeira vez por Neal Stephenson, em sua obra denominada “Nevasca”, no ano de 1992. 

Na história, o metaverso era definido como um mundo 3D que habitava avatares semelhantes aos seres humanos, algo bem parecido com o conceito de hoje sobre o metaverso.

O metaverso nada mais é do que uma conjuntura de espaços virtuais, onde as pessoas podem vivenciar experiências digitais, consumir objetos, trabalhar, se relacionar, dentre várias outras vivências.

Entretanto, é preciso compreender o metaverso como um sintoma das big techs, que moldam nosso comportamento atual e determinam tendências não só de mercado, mas de vivências e formas de se comunicar no mundo como a moda digital e as criptoartes.

De forma mais ampla, é possível compreender o metaverso por meio de tendências que norteiam o futuro da sociedade. 

Essas tendências são vistas nos nativos digitais que já possuem parte de suas vidas completamente virtuais, as inúmeras atividades que podem ser monetizadas no ambiente digital sem necessariamente ter que estar presente, além da constante criação e inovação por todas as partes da web.

O metaverso é uma conjuntura de todos esses sintomas e tendências da sociedade, uma possibilidade completamente inovadora capaz de proporcionar a imersão de todos nossos sentidos no ambiente digital.

Como funciona o Metaverso?

O metaverso é capaz de recriar ambientes presenciais em ambientes completamente digitais, ou seja, por meio da tecnologia e da inteligência artificial será possível construir um ou mais avatares e presenciar espaços digitais com pessoas que não estão no mesmo espaço físico que você.

Com a realidade virtual e a realidade aumentada, os estímulos causados pelos espaços virtuais prometem uma vivência única e mais próxima do mundo físico possível. 

De acordo com Zuckerman, a previsão é entre 5 a 10 anos para que tudo isso se torne uma realidade viável em todo o mundo, porém as expectativas são altas na sociedade e na mídia.

Já imaginou poder trafegar por inúmeros lugares, conhecer pessoas de diversos cantos do mundo e se relacionar por meio de um universo completamente digital?

Ao contrário do que estamos acostumados no ambiente digital, onde já é possível se comunicar e se relacionar com outras pessoas de forma remota, o metaverso vem para interligar o mundo online e offline, proporcionando experiências únicas que não se limitam somente ao online ou offline.

A tecnologia e a construção de novos mundos

A ideia de novos mundos habitáveis para além do mundo físico pode causar receio e medo em algumas pessoas, além da insegurança. 

Porém, por mais desafiador que seja imaginar um mundo completamente digital, é preciso estar aberto a novas experiências e às inovações do mundo contemporâneo.

Até alguns anos atrás, a televisão era um dos elementos que sugavam pelo menos 25% do nosso tempo acordado, mas hoje em dia o grande responsável por sugar a atenção das pessoas são os smartphones, tomando pelo menos 50% do tempo acordado de cada um.

Mais do que entretenimento nas redes sociais, eles se tornaram ferramentas de trabalho de grande parcela da sociedade, visto que o ambiente digital também é um forte facilitador e agente econômico.

Tudo caminha para que a digitalização e a criação de novos mundos digitais aumentem e criem novas proporções, pois a tendência para o futuro dessa geração é que o ambiente digital valha mais do que a vida física em alguns anos.

Economia do metaverso

O metaverso pode trazer inúmeras oportunidades para profissionais do design, programação, sound design, ilustração e animação. Além disso, essa nova realidade promete ser um ambiente inclusivo, com espaço para aprimorar habilidades e trabalhar as potencialidades de cada um.

Além disso, essa tendência mundial ganhou um espaço expressivo na mira dos investidores após o pronunciamento de Mark Zuckerberg e a mudança do Facebook para o novo nome “Meta”.

As criptomoedas e os NFTs já fazem parte da agenda de inúmeros entusiastas tecnológicos e caracterizam um novo ecossistema digital, algo que será ampliado ainda mais com a economia do metaverso e que atrai cada vez investidores.

Sobretudo, é importante compreender o metaverso não só como um agente transformador da sociedade e uma nova programação social, mas também como um importante influenciador nas relações de consumo, que estabelecem a nova economia.

Conclusão

Ao contrário do que muitos imaginam, o metaverso não representa uma revolução necessária, assim como nenhuma revolução digital era considerada necessária alguns anos atrás.  Em contrapartida, quando as revoluções digitais acontecem, dificilmente é possível voltar e viver da mesma forma como antes. Falar sobre o metaverso é falar sobre uma nova realidade, inadiável e irreversível

O que é Metaverso?

O metaverso é uma aposta capaz de proporcionar uma imersão completa das pessoas no espaço digital. 

Quem concebeu o termo metaverso?

O termo “metaverso” foi concebido pela primeira vez por Neal Stephenson, em sua obra denominada “Nevasca”, no ano de 1992. 

Quais profissões podem ser beneficiadas?

O metaverso pode trazer inúmeras oportunidades para profissionais do design, programação, sound design, ilustração e animação.

Como o metaverso influencia a sociedade?

É importante compreender o metaverso não só como um agente transformador da sociedade e uma nova programação social, mas também como um importante influenciador nas relações de consumo, que estabelecem a nova economia.

Ecossistema de inovação

Os ecossistemas de inovação são essenciais para a transformação do mundo. E isso se deve por conta da sua importância em mudar processos e criar soluções que podem mudar a estrutura de várias sociedades.

Ecossistema de inovação
Ecossistema de inovação

Um ecossistema é composto por uma conjuntura de comunidades e seres vivos incluídos em um mesmo ambiente e que interagem entre si. Quando falamos de inovação, estamos nos referindo a novas ideias, novas soluções e novas possibilidades de realizar processos e melhorar resultados.

O ecossistema de inovação une esses dois conceitos e estabelece uma nova forma de visualizar o empreendedorismo, com muito mais conhecimento, oportunidades e como um elemento transformador.

Esse conceito, difundido por diversos autores ao longo dos anos, pode ser caracterizado como ambientes repletos de relações e trocas, onde há criação, cooperação e principalmente desenvolvimento.

Muitas empresas buscam por um propósito de inovação em comum, porém nem todas possuem a oportunidade de um ecossistema de inovação.

O ecossistema de inovação é um grande diferencial na trajetória de pequenas, médias e grandes empresas, pois são ambientes que possibilitam conhecimento e aprendizados expressivos, influenciando em organizações transformadoras e autênticas no mercado.

Quer entender melhor como tudo isso funciona? Neste post irei abordar de forma aprofundada o conceito de inovação, como esse ecossistema impacta o mundo como um todo e quais suas principais características.

O que é um Ecossistema?

Um ecossistema, de acordo com a definição da biologia, é um conjunto de seres vivos que vivem em comunidades, interagindo entre si e com o ambiente em que estão inseridos.  

Dentro de um ecossistema, cada ser vivo desempenha um papel diferente, porém todos trabalham em cooperação. Ou seja, cada ser vivo depende um do outro, pois todo o funcionamento de um ecossistema depende da participação de cada elemento.

Por meio desse conceito, é possível traçar analogias que atravessam a nossa sociedade, os diversos espaços públicos e privados, as cidades, dentre vários outros ambientes que serão analisados no conceito do ecossistema de inovação.

O que é Inovação?

De forma geral, o conceito de inovação é baseado na criação de algo novo, inédito, que foge dos padrões anteriores. No contexto do mercado atual, a inovação ocupa um dos pilares fundamentais para o desenvolvimento das empresas, pois se tornou a ferramenta primordial para as organizações e profissionais que buscam uma continuidade no mercado vem que atuam.

Hoje em dia podemos visualizar inúmeras startups se consolidando como grandes empresas e ultrapassando grandes organizações no mercado, pois possuem como grande diferencial a inovação, nos produtos, serviços e seus processos.

Contudo, comento que para que exista inovação propriamente dita, a ideia, produto ou serviço deve ser validada pelo cliente.

Mas afinal, quais são os fatores que influenciam para essa inovação? E qual o papel do ecossistema de inovação nesse processo? É sobre tudo isso que iremos falar agora.

O que é ecossistema de inovação?

Um ecossistema de inovação é justamente a junção entre os dois conceitos citados anteriormente, ecossistema e inovação.

Imagine uma cidade onde universidades, empresas, centros de pesquisa, o governo, startups, investidores, empreendedores e hubs de inovação interajam entre si, por meio de uma rede de relações e cooperações. Qual seria o nível de potencial desta rede?

Pois saiba que os ecossistemas de inovações são justamente sobre esse potencial e sobre essas relações, um ecossistema repleto de elementos potencializadores do conhecimento, inovação e desenvolvimento e que se interligam de forma ativa.

Os ecossistemas de inovação são sistemas de extrema importância no desenvolvimento de inovações e transformações no mundo. Tudo isso irá refletir, de forma positiva, no crescimento do ambiente como um todo, seja a cidade, Estado ou país no qual eles estão inseridos.

Contudo, é preciso que os diversos atores sociais, como as empresas, universidades, governo, a sociedade civil e o meio ambiente estejam conectados para que um ecossistema de inovação se estabeleça.

Além disso, é preciso também a integração de diversos setores, como o sistema local, regional e nacional de inovação. O que a cidade oferece para essa inovação? Quais apoios para inovação existem nesse estado? Quais políticas que fomentam a inovação no país? Tudo isso é fundamental para que ecossistemas de inovação aconteçam. 

Muitas inovações ocorrem em função de ideias e soluções dentro da própria cidade, o ambiente onde o indivíduo vive e está inserido e as organizações que operam naquele lugar, pois é preciso enxergar as cidades como laboratório.

A hélice quíntupla de inovação

A hélice quíntupla é a associação de diversos elementos e atores que compõem os ecossistemas de inovação e exercem papel fundamental na transformação. Dentre os atores que a compõem, estão:

  • academia
  • governo
  • empresa
  • sociedade
  • e o ambiente.

A academia está relacionada ao conhecimento, à formação de pessoas por meio do aprendizado, realização de pesquisas e é o elemento que detém o saber.

O governo, por outro lado, atua promovendo o desenvolvimento por meio de políticas e fomentando os atores que geram conhecimento científico, criando oportunidades para que a formação aconteça.

A empresa ou a indústria atua na comercialização da inovação, ou seja, é onde podemos visualizar os processos de inovação e transformação na prática, transformando o conhecimento em riqueza.

Posteriormente, a sociedade civil se estabelece como outro ator importante neste eixo de inovação, por meio da mídia, a arte, cultura, os estilos de vida da sociedade, dentre vários outros elementos que atuam demandando problemas e soluções.

Por fim, o ambiente se integra e complementa a quíntupla hélice de inovação com uma perspectiva sustentável, pois irá demandar soluções para os problemas ecológicos e os impactos ambientais. 

Qual a importância do ecossistema de inovação?

Os ecossistemas de inovação são grandes elementos ativos na evolução e na transformação do mundo. É preciso compreender os atores que o compõem, alicerçar todos esses contratos, essas parcerias e efetivar essa conexão entre seus diversos elementos.

O potencial de um ecossistema de inovação é muito amplo e significativo, pois vai desde o impulsionamento de empresas, o desenvolvimento de habilidades até questões sociais e ambientais como a demanda sustentável.

Com novos sistemas econômicos, novas perspectivas de mercado e um mundo completamente imerso em uma transformação que engloba as demandas sustentáveis, os ecossistemas de inovação se tornam o grande motor essencial para mercados mais produtivos, sustentáveis e inclusivos.

Conclusão

Todos esses processos complexos, caracterizados como ecossistemas de inovação, são democráticos, abrangem a geração de ideias e os processos criativos inseridos em um eixo de inovação que deve estar conectado. Dessa forma, os ecossistemas de inovação são uma das principais ferramentas de transformação do mundo em sua totalidade. Bem vindo a uma nova economia!

O que é Nova Economia?

Neste novo post eu falou sobre o que é e quais são os atributos da Nova Economia que tem como um dos principais pilares a criação de negócios com propósito. Saiba mais no meu blog

O que é Nova Economia?
O que é Nova Economia?

No mundo contemporâneo ocorreram diversas transformações no meio digital, tecnológico, comportamental e principalmente econômico. A forma como as pessoas vivenciam a economia atual traz novos modelos, novas características e tipos de negócios cada vez mais inovadores.

Seria este movimento um reflexo das novas gerações, que prezam pela experiência do usuário, pela sustentabilidade, causas sociais e diversos outros fatores que fazem parte da demanda da atualidade?

A nova economia é baseada em modelos de negócios mais flexíveis, aliados à tecnologia e centrado em solucionar problemas dos indivíduos, muito mais do que vender produtos. Com isso, o consumidor passa, cada vez mais, a fazer parte da atenção central das empresas.

Diferente da “velha economia” onde os modelos de negócios eram rígidos, com foco centralizado no produto e perspectivas de venda tradicionais, a nova economia acompanha as mudanças da sociedade, as transformações digitais e tudo o que essas relações implicam.

Para entender melhor de que forma todos esses elementos funcionam é preciso se aprofundar na história da nova economia e como ela foi elaborada ao longo do tempo.

Neste post você irá compreender como tudo isso se deu e de que forma a nova economia influencia nas empresas, promovendo tipos de negócios inovadores e observando o novo perfil de consumidor.

História da Nova Economia

O termo “The New Economy” traduzido para o português como “Nova Economia” foi citado pela primeira vez em 1983, pelo jornalista Charles P. Alexander. Em 1996, Michael J. Mandel, importante economista americano, passou a debater sobre o conceito inserido no contexto do mercado.

Dessa forma, pode-se dizer que esse novo modelo está presente desde o final dos anos 90, em contextos e proporções diferentes. Na época, o termo era citado em referência a organizações que estavam inovando na forma de realizar negócios e ultrapassando as empresas tradicionais.

Desde então, a tecnologia e a globalização passaram a protagonizar o mercado de forma expressiva, fortalecendo o conceito da nova economia e contribuindo para a elaboração de uma nova era no mundo do empreendedorismo.

Os princípios da Nova Economia

A nova economia veio para romper com modelos antigos e valores ultrapassados da velha economia, onde era o consumidor que se moldava e adaptada ao mundo e ao mercado.

Com o crescimento da internet, empresas menores adentrando o mercado e concorrendo diretamente com grandes empresas por meio das inovações tecnológicas, mídias e uma nova perspectiva do cliente, empresas tradicionais tiveram que se adaptar à nova realidade.

Dessa forma, os princípios da nova economia passaram a ser elaborados à luz do próprio consumidor, que se torna o elemento principal nesse novo modelo econômico. 

Há pelo menos 7 princípios que norteiam a nova economia. Conheça quais são eles a seguir.

Propósito

Na velha economia, o capital era super valorizado, ou seja, o lucro era o grande propósito das grandes empresas. Quando adentramos à nova economia, esses ideais passam a ser limitantes e ultrapassados, pois o conceito de sucesso passa por uma transformação e é atrelado ao propósito da organização.

Sendo assim, é necessário um propósito maior do que a lucratividade, algo que motive a criação de negócios que causem impactos positivos na sociedade atual e esteja alinhado aos propósitos do novo consumidor, que é cada vez mais consciente.

Foco no consumidor

Conhecer o cliente e investir em sua experiência é também um dos fatores essenciais na nova economia, pois muito além de vender bons produtos e oferecer serviços satisfatórios, é preciso que tudo isso solucione os reais problemas dos clientes.

Ou seja, investir na experiência do cliente é essencial para fortalecer o relacionamento da empresa com seu público e se aprimorar no mercado, visto que a nova economia possui o cliente como foco central de todo o negócio.

Criação de novas demandas

A nova economia está aberta a novas possibilidades, sem se limitar a solucionar apenas um problema.

Ou seja, por meio do desenvolvimento de um produto ou serviço, podem surgir novos desejos e demandas dos consumidores, as quais podem ser analisadas e solucionadas na nova economia.

Erros e flexibilidade

Os erros são elementos que podem ocorrer com frequência na nova economia, a qual está imersa em ferramentas digitais, em processos de criação e inovação que podem falhar em algum momento.

A flexibilidade é um dos princípios mais presentes nesse novo cenário, pois é preciso estar em constante adaptação e aberto a novas possibilidades, elaborando até mesmo novas oportunidades diante dos imprevistos.

Incertezas

A nova economia é flexível também para as transformações constantes às quais a sociedade está sujeita, principalmente no mundo contemporâneo onde as mudanças acontecem com frequência e há sempre novas formas de se aprimorar.

As empresas atuais procuram lidar com essas incertezas buscando sempre um acompanhamento do seu consumidor e analisando seus valores e preferências, alinhando sempre esses fatores a melhorias na empresa.

Criação de novas oportunidades

É em meio a conflitos e crises que surgem as maiores oportunidades no mercado, pois induz as empresas a transformar possibilidades e criar novas alternativas que podem surpreender positivamente.

Inovação para continuar

No mundo atual, as transformações ocorrem em uma velocidade máxima, o que cobra das empresas uma constante inovação para permanecer no mercado.

Ou seja, é preciso estar sempre atento às tendências e inovações no mercado e movimentar os negócios em busca de adaptação.

Novo perfil de consumidor

A nova economia fortalece ambientes corporativos horizontais, que são dinâmicos e flexíveis. Tudo isso está alinhado ao novo perfil de consumidor, que busca por experiências e não coisas, possui propósitos mais amplos e preza pelo consumo consciente.

Negócios criativos e pautados nas demandas sociais se destacam nesse novo cenário, alcançando públicos cada vez mais atuais e ativos no mercado.

A tecnologia alinhada ao conhecimento fortaleceu não só o consumidor no seu processo de decisão, mas a nova economia como um todo.

Conclusão

Investir no bem-estar, na experiência do cliente e nas inovações tecnológicas são os primeiros passos de empresas de sucesso na nova economia.

Empresas como AirBnB e Nubank são exemplos práticos das transformações na nova economia, pois são empresas escaláveis e eficientes com potencial de crescimento expressivo.

Nesta nova realidade os negócios disruptivos, sejam eles escaláveis, sociais, inovadores ou criativos ocupam o lugar central no mercado atual.

Contudo, é preciso se aprofundar nas transformações da sociedade, nas novas demandas dos indivíduos e as questões que permeiam as tomadas de decisões e a jornada do cliente. A nova economia está alinhada a todos esses elementos e busca contemplar essa nova realidade de forma flexível e inovadora.


Startup: que tipo de negócio é esse?

Muito se fala no termo Startup e olhando de fora parece ser uma empresa nova que veio para dar uma boa solução ao mercado. Atualmente, os profissionais dão muito valor ao modelo de Startup e preferem trabalhar nesse tipo de empresa do que qualquer outra.

Startup: que tipo de negócio é esse?
Startup: que tipo de negócio é esse?

Isso acontece porque a Startup tem um modelo de negócios diferente, desafiador e que provoca crescimento. Mas como será que tudo isso funciona? Porque algumas Startups fazem tanto sucesso?

Se você deseja saber um pouco mais sobre o que é uma Startup e como ela funciona, continue lendo para aprender um pouco mais sobre este universo.

O que é uma Startup?

Basicamente, o termo Startup designa uma empresa jovem que entra no mercado com uma solução capaz de se desenvolver em um modelo de negócio escalável e repetível.

Portanto, a ideia da Startup é baseada em inovação e também utilização de tecnologias para melhorar o desempenho para a possibilidade de um rápido crescimento.

Muitas pessoas confundem uma Startup com qualquer empresa nova criada e isso pode estar errado. Se uma nova loja de roupas ou uma lanchonete abrir, elas não serão necessariamente startups a não ser que venham trazer um novo jeito de consumir e características de um negócio escalável no médio prazo.

Por isso, a Startup geralmente está ligada a tecnologia, uma vez que esses são elementos fundamentais para a escalabilidade de um negócio, mas não é uma regra e nem precisa ser!

Acredito que a mentoria, com um profissional certificado, possa fazer sentido para os empreendedores que quiserem se aventurar por esses caminhos. Deixo aqui a sugestão de um texto sobre a importância da mentoria no meu blog.

Vamos entender melhor as características que fazem de uma empresa uma Startup.

Características de uma Startup

Existem algumas características que ajudam a identificar um modelo de Startup. E abaixo nós listamos algumas das mais importantes desse mercado, todos baseados em inovação.

Perfil empreendedor de colaboradores

Com relação ao seu time, uma Startup está sempre em busca de colaboradores que se comportam como donos, que se preocupam com os próximos passos da empresa, oferecem soluções criativas e correm riscos a fim de se desenvolver como profissional e trazer bons resultados para a empresa.

Aliado a isso, as empresas tendem a oferecer incentivos que constroem esse tipo de profissional, como opções de ações da empresa como parte da remuneração.

Modelo de negócios 

A Startup tem o objetivo de ter um modelo de negócios simples e de muito valor. A ideia é que seja um negócio repetível. Essa simplicidade pode ajudar a diminuir os custos de um negócio e torná-lo altamente lucrativo, principalmente com a possibilidade de escala.

Flexibilidade e resiliência 

Uma Startup vem para ser algo que não existe no mercado, pelo menos do seu jeito único que faz toda diferença para o consumidor. Por isso, ela é construída em uma base pouco sólida e de muito aprendizado, onde os erros viram aprendizados e a empresa é capaz de se reestruturar e se adaptar de forma muito mais rápida.

Este cenário presente dentro das startups também é um dos motivos pelos quais elas necessitam de colaboradores com espírito empreendedor. Quem busca estabilidade e enriquecimento fácil não deve participar desse tipo de projeto.

Cultura organizacional muito forte

O modelo de Startup já vem com o entendimento de que as pessoas são o que há de mais valioso na empresa. Por isso, esse tipo de negócio funciona com uma cultura organizacional forte, com diversidade e um clima organizacional jovem, focado na qualidade de vida no trabalho e no desenvolvimento de habilidades. Aqui sugiro a leitura do texto sobre Capitalismo Consciente

Repetição e escalabilidade

É preciso que o modelo de negócio seja facilmente repetível, ou seja, capaz de entregar o mesmo valor para mais pessoas com facilidade. Com relação a escalabilidade, é preciso que a Startup consiga atingir um público maior, ter um crescimento exponencial, sem necessitar de um aumento de custo proporcional.

Um bom exemplo para explicar isso tudo é a Netflix. Mesmo que uma franquia de aluguel de filmes seja repetível, como o blockbuster, isso não significa que ela é escalável, já que para entregar o mesmo valor precisaria de muitas cópias de um filme. 

Com a plataforma da Netflix, muitas pessoas têm acesso ao mesmo título sem que o custo por isso aumente para a empresa, que por sua vez recebe seus lucros por meio de assinaturas. Se alguém assiste ou deixa de assistir, isso não impacta no custo da empresa, pois o que realmente importa é a assinatura.

Branding

Uma startup sempre desenvolve muito bem o seu branding para associar o seu valor à sua marca. Tudo é muito bem pensado e o posicionamento da empresa é muito claro, também alinhado a sua cultura organizacional, missão, visão e valores.

Alguns exemplos de Startup que são sucesso

Netflix – Uma das plataformas de streaming mais famosas do mundo, que vende assinaturas para que seus usuários tenham acesso ilimitado a todos os filmes e séries do catálogo.

Uber – Plataforma de transporte e entrega de comida que utiliza economia compartilhada para oferecer um serviço de qualidade e permitir renda extra àqueles que atuam como colaboradores.

IFood – App de entrega de comida que utiliza economia compartilhada para oferecer o serviço de delivery para todas as empresas que se cadastrarem, oportunidade de renda extra para entregadores, um catálogo de estabelecimentos para seus usuários com muita conveniência.

NuBank – App de banco que oferece cartão e conta gratuitos, sem tarifas ou anuidade. Produtos de alto valor, alinhados com as necessidades de seus clientes e um dos pioneiros das startups fintechs no Brasil. Já se tornou uma Startup unicórnio, com valor de mercado acima de 1 bilhão de dólares.

Airbnb – Startup do ramo imobiliário que oferece um catálogo de acomodações e experiências para que usuários e proprietários se conectem, oferecendo preço justo a um e lucro ao outro. Também baseado no sistema de economia compartilhada.

Acima você viu alguns exemplos de startups que fazem sucesso no mercado. É interessante perceber como algumas delas (Uber, Airbnb e IFood) utilizam fundamentos da economia compartilhada para se replicar e se tornar escalável.

Não sabe o que é economia compartilhada? Este pode ser um ótimo assunto para você começar a entender um pouco sobre como surgem as ideias de uma Startup. 

Se você gostou deste conteúdo, não se esqueça de compartilhar para que mais pessoas conheçam esse modelo de negócio e ampliem seu conhecimento para conseguir melhores oportunidades.

O que é Moda Digital? Conheça essa opção Sustentável

As roupas digitais viraram uma grande tendência contemporânea ao unir a moda e tecnologia. A possibilidade de você ter uma peça de roupa digital vem ao encontro da sustentabilidade que é um grande desafio para a indústria têxtil. A moda digital se encaixa bem no termo “fast fashion” que popularizou a ideia de que estilo está diretamente ligado a uma grande coleção de roupas. Nas redes sociais, um terço das pessoas considera uma peça de roupa velha, após utilizar por duas vezes. Ainda, a grande maioria diz que não irá postar fotos nas redes sociais com a roupa que já está publicada.

O processo de criação e produção elimina os disperdícios de materiais e a emissão de gases em um processo sustentável.

A moda digital pode ser um bom avanço em termos de sustentabilidade suprindo a demanda de um guarda roupa enorme, além de prejudicar o meio-ambiente. O guarda roupa virtual é composto por roupas digitais e vem ganhando popularidade nas diversas áreas do conhecimento. Dessa forma, sua coleção de roupas pode ser minimalista enquanto seu guarda-roupas virtual pode conter centenas de peças de roupas digitais.

Em 2018, a marca Carlings foi a primeira a lançar uma coleção 100% digital. As peças custaram entre U$15 e U$400. Nessa ocasião, os clientes enviavam suas fotos e a equipe de designers da marca faziam a edição da imagem, vestindo a roupa digital no cliente. A marca iniciou o projeto com o objetivo de democratizar a indústria da moda.

Devido ao sucesso, o grupo repetiu o projeto em 2019 mas dessa vez utilizando a tecnologia de realidade aumentada. Os clientes usam seus celulares e postam suas fotos diretamente no Instagram ou Facebook como se fossem filtros.

A moda digital iniciou na indústria dos video games onde os jogadores compravam skins para seus personagens. A Louis Vitton, por exemplo, desenvolveu roupas para um video game e também lançou a versão para o mundo real.

Usando a mesma tecnologia, o mundo da moda embarca com força total para oferecer uma solução mais sustentável para a fast fashion e permitir que você tenha um guarda-roupas com centenas de peças que não agridem o meio-ambiente.

Vestir Roupa Digital é Muito Simples!

A loja DressX, é uma das melhores lojas no momento. Eles oferecem roupas digitais feitas por vários estilistas. Os profissionais da moda enviam suas criações e os melhores são selecionados para vender no site.

Eles utilizam um processo simples, onde você escolhe a roupa que deseja comprar online e envia sua foto que deseja vestir a roupa.

Moda Digital - exemplo de roupa digital do site DressX
Moda Digital – exemplo de roupa digital do site DressX

A dinâmica para comprar uma roupa digital segue o mesmo principio de quando você visita uma loja física. Você navega pelo site até encontrar algo que lhe agrada. Caso desejar comprar uma peça, você deverá subir uma foto sua seguindo os critérios do site. Deve ser uma foto de corpo inteiro, bem centralizada e com boa iluminação.

Depois de subir sua foto, você pode colocar a peça desejada no carrinho de compras.

A foto que você enviou será vestida com sua roupa escolhida.

Você pode utilizar uma foto sua diferente para cada peça de roupa digital que comprar.

Site DressX - envie sua foto para vestir sua nova roupa digital - Moda Digital
Site DressX – envie sua foto para vestir sua nova roupa digital

Um dos grandes desafios da área da moda digital, é fazer com que as roupas sejam vestidas automaticamente de forma perfeita. A tecnologia ainda não está acompanhando a demanda desse setor, mas está progredindo.

No momento, esse processo está automatizado mas precisa de ajustes manual. O processo de vestir a roupa digital é feito por softwares de edição de imagem com capacidade de trabalhar em 3D. O uso desse software permite pequenos ajustes para que a roupa vista perfeitamente bem no cliente.

Outro detalhe importante é fazer o software identificar o formato do corpo de forma automática. Muitas soluções, utilizando inteligência artificial, muito em breve, contribuirão paa o processo de vestir totalmente automatizado.

No momento, as empresas estão levando até 5 horas para vestir e fazer os ajustes necessários. Isso garante a perfeição do trabalho e é muito rápido se comparado com as primeiras roupas digitais vendidas, que tinham que ser editadas em todo o processo.

Moda Digital como NFT

A empresa The Fabricant (www.thefabricant.com) é especialista em desenvolver roupas digitais. A empresa foi a primeira a explorar o conceito de moda digital na Blockchain, vendendo uma peça de roupa digital em NFT. A empresa criou um design único que foi vendido por U$ 9,5000.

Da mesma forma que a arte em NFT, a moda digital se encaixa perfeitamente para ser vendida em Blockchain e pode deixar toda a experiência ainda mais interessante. Quando se fala em NFT, o conceito de um produto único e raro vêm a nossa mente. Com a moda digital em NFT, você pode ter roupas únicas que nenhuma outra pessoa no mundo possui.

Se você ainda não conhece esse conceito, visite meu post explicando o que é arte em NFT.

Tenho certeza que o mercado da moda digital vai explorar muito mais essa possibilidade de vendas em NFT (Blockchain), da mesma forma que está sendo feita com video games.

Roupa Digital da "The Fabricant" vendida por U$ 9,500 em NFT.
Roupa Digital da “The Fabricant” vendida por U$ 9,500 em NFT.

Um Incentivo para Testar

A empresa HOT:SECOND (a-hot-second.com) fez uma campanha bem interessante com o intuíto dos para clientes testarem roupas digitais pela primeira vez. As pessoas que fossem até a loja para doar roupas que não querem mais, iriam receber uma roupa digital em troca. As roupas doadas foram para caridade e os clientes literalmente as trocaram por roupas digitais.

Site da HOT:SECOND - moda digital
Site da HOT:SECOND – moda digital

Por que Moda Digital?

Existem vários fatores que ajudam a moda digital se projetar em todo o mundo. Quando falamos de sustentabilidade e o conceito de “fast fashion”, entendemos o motivo que as roupas digitais estão ganhando popularidade em grandes proporções.

Sustentabilidade

A moda digital é a melhor solução para a sustentabilidade para o conceito de fast fashion. A indústria da moda é um grande responsável por emissões de gás de efeito estufa. As roupas descartadas sempre acabam queimadas ou chegadas em um aterro.

A moda digital permite a seus clientes se beneficiarem do conceito fast fashion sem causar danos ao meio-ambiente.

Ao comprar uma roupa digital, você reduz o impacto causado por essa única peça e também elimina o desperdício de materiais gerado durante o processo de criação e produção.

Até mesmo os grandes fabricantes podem utilizar a moda digital, sem precisar mudar suas ofertas.

A empresa PUMA criou um produto com baixo impacto ambiental e utilizou o conceito de moda digital para eliminar desperdícios causados com amostras e todo o resto que envolve o processo de criação. Eles iniciaram a produção somente depois que o projeto estava totalmente testado e aprovado utilizando a tecnologia.

Redução de Custo

Com esse processo, a empresa PUMA mostrou uma boa redução no consumo de água, tempo de produção e custo.

Inclusivo

Um tamanho veste todos – tamanho único. As peças de roupas digitais são criadas de forma única e vestem todas as pessoas, independente da forma do seu corpo.

Site da DressX - Roupas digitais para vender.
Site da DressX – Roupas digitais para vender.

Criatividade

As roupas digitais apresentam criatividade ilimitada permitindo que os designers façam experimentos que na vida real são impossíveis.

A empresa The Fabricant falou que por meio da moda digital, os designers podem literalmente viajar e colocar tudo em prática. Um vestido feito de água, luzes na peça, alterar o tipo de textura, presonalizar de acordo com seu gosto, por exemplo, gerando mais possibilidades para a sua expressão nas redes sociais.

Enquanto a criatividade não tem limite, a tecnologia impõe algumas barreiras como cometei interiormente.

Alguns serviços são feitos de forma manual, enquanto outros utilizam realidade aumentada para vestir seus clientes.

Em muitos casos, o cliente precisa enviar sua foto e aguardar a empresa retornar com a edição.

O processo automático utiliza software 3D para vestir a roupa digital no cliente. A grande barreira, no entanto, é o software reconhecer o formato do corpo para deixar todas as etapas de forma automática. As aplicações em realidade aumentada e inteligência artificial ajudam, mas alguns casos ainda precisam de ajustes manuais.

A medida que a tecnologia avança e novas versões dos softwares são lançadas, novas possibilidades estarão disponíveis até chegar o dia em que você poderá fazer uma transmissão de video usando uma roupa digital.

Quanto Custa uma Roupa Digital?

O preço de uma roupa digital não é barato. Normalmente pensamos várias vezes antes de comprar uma roupa cara para usar no mundo real, imagine ao se tratar de algo digital? As pessoas tendem a não valorizar os ítens digitais. Os valores que as pessoas se disponibilizam a pagar por ítens digitais é muito abaixo da realidade.

Por exemplo, muitos preferem pagar U$ 15 por um livro físico do que U$ 5 em sua versão digital.

O preço de uma roupa digital podem variar muito de acordo com o tipo. Pesquisando o site DressX, as camisetas custam U$ 30, moletons e calças U$ 40, tênis U$ 40.

A Moda Digital iniciou nos Video Games

Exatamente! Mas não pense que esse conceito é novo. Roupas digitais já vem sendo utilizadas (e muito) no mercado dos video games de uma forma muito séria e profissional. Por exemplo, a Louis Vitton desenvolveu uma coleção de roupas para o jogo League of Legends. Seguindo o sucesso do lançamento digital, a marca decidiu também lançar as roupas no mundo real.

Os video games utilizam a muitos anos o conceito de vender “skins” para seus jogadores. Essa prática simplesmente muda o visual do jogador, e nada afeta em suas habilidades. Assim, vimos que a moda digital iniciou com os video games, e para quem acha isso uma bobagem, analistas preveem que o mercado de moda digital (skins) nos video games irá valer U$ 50 bilhões de dólares em 2026.

A presença da mentalidade desse estilo também é presente nas redes sociais, quando as pessoas fazem sua própria curadoria de como desejam aparecer no Instagram, Facebook ou no Linkedin para algo mais profissional. Vamos acompanhando esta pauta das rpupas digitais, pois acredito que, em breve teremos novidades neste sentido.

O que é moda digital?

Moda digital são roupas virtuais que você pode utilizar e contribuem muito para a sustentabilidade do planeta.

O mercado da moda digital em NFT está em ascensão?

Sim. A moda digital é uma área muito promissora para quem está interessado em NFT.

Quanto custa uma roupa digital?

Existem muitos tipos e versões de roupas digitais, mas em média é bem barata.

Como surgiu a ideia de fazer roupas digitais?

Adeia surgiu do Video Games e muitas marcas famosas iniciaram nesta área de roupas digitais para jogos como a Louis Vitton.

Como Vender Arte Digital em NFT?

Nesse guia fácil e simples, você vai aprender como vender arte digital em NFT usando algumas plataformas específicas. Se você não sabe como publicar sua arte digital em sites de vendas ou leilões, continue lendo esse post. Desde o cadastro até a publicação de sua arte NFT, aqui você irá aprender tudo para iniciar.

Com o grande crescimento das plataformas especializadas, cada vez mais, artistas estão mostrando interesse em vender suas obras na Blockchain. Porém, algumas etapas podem ser difíceis para quem não está atuando na área. Esse guia irá mostrar o passo-a-passo para vender sua arte digital no Opensea.

-> Veja aqui alguns livros interessantes sobre Arte Digital!

Vender Arte Digital em NFT em Sites Confiáveis

Existem muitos marketplaces para artistas venderem suas obras digitais. Ao longo desse post, eu irei listar alguns dos melhores sites. Antes de iniciar, eu presumo que você já sabe o que é NFT, pois seu interesse agora é vender arte digital online. Caso não saiba, confira um post que explica de forma bem fácil esse conceito – https://www.elianedavila.com/arte-digital-nft/ .

Basicamente, as obras serão vendidas em Blockchain e são oferecidas de forma limitada ou de acordo com sua preferência. Isso define a teoria dos tokens não fungíveis (NFT). Um artista pode publicar uma obra digital que tenha somente 5 exemplares. Ainda, o artista pode definir royalties para que receba um percentual de cada venda futura. Por exemplo, um comprador recebe o direito sobre a obra e pode revender no futuro. O artista continua ganhando um percentual sobre essas vendas.

A possibilidade é enorme quando se fala em arte em NFT. Essa oportunidade acolhe todos os tipos de artistas incluindo desenhistas, artista plásticos, fotógraf@s, quem trabalha com animação digital, produz poemas, música, etc.

Caso não conheça ainda todas as possibilidade, leia o post “Quais as aplicações de arte em NFT

Existem uma grande variedade de sites para vender arte digital e você poderá encontrar mais detalhes em uma listagem abaixo. Nosso foco inicial será o site Opensea que é conhecido por ser o maior marketplace de arte em NFT.

Como Vender Arte Digital em NFT no Opensea

Nessa seção, você vai aprender o passo-a-passo para deixar sua conta pronta para vender sua arte online. Tudo inicia com seu cadastro no site Opensea e segue com o upload de sua coleção, e cadastro do contrato digital (smart-contract) na Blockchain para vender sua primeira arte. Vamos aos passos:

1 – Cadastro no site Opensea

Para essa estapa, você deve ler nosso post “Como se Cadastrar no Opensea” que já está bem detalhado. Clique no link para seguir os passos. A página irá abrir em uma nova janela para facilitar o retorno para esse post.

Entre aqui: https://www.elianedavila.com/comprar-arte-em-nft-no-opensea/

2 – Criar sua Coleção de Arte

Após concluir seu cadastro, você irá ver sua página inicial com duas opções: Explore e Create. O primeiro passo para divulgar seu trabalho é criar sua coleção. Clique em “CREATE” nas etapas abaixo para iniciar

Tela inicial do Opensea - Clique em CREATE para fazer sua coleção de arte
Tela inicial do Opensea – Clique em CREATE para fazer sua coleção de arte
Vender arte digital online no Opensea
Vender arte digital online no Opensea - cadastro da coleção
Vender arte digital online no Opensea – cadastro da coleção

Nesse ponto, você pode fazer seu cadastro da sua primeira coleção.

Name: Digite o nome da coleção de forma fácil e usando termos que a identificam.

Description: Descreva em detalhes o tipo de trabalho e o que as obras nesse coleção incluem.

Logo: Suba uma imagem bonita, que chame a atenção de sua área de coleção.

3 – Incluindo seus Trabalhos no site

Agora que você têm sua coleção pronta, você pode começar a incluir seus trabalhos. Nesse ponto, a sua coleção de arte será somente para mostrar seu trabalho. Suas obras ainda não estarão a venda em NFT. Nessa etapa, você irá fazer uma galeria, onde as pessoas poderão conhecer seu trabalho.

Tela de cadastro da Arte: Cadastrar arte para vender no Opensea
Tela de cadastro da Arte para vender no Opensea

Antes de listar seu primeiro NFT, vale a pena deixar seu espaço mais personalizado. Para isso, você pode adicionar um banner que irá ficar em destaque em suas páginas que mostram suas coleções.

Na aba “Payouts” você poderá ver a listagem de pagamentos das vendas secundárias, caso você definiu receber royalties quando algum comprador re-venda seus trabalhos.

Ao clicar em “VISIT”, você irá ver sua listagem publica, como ela irá ser mostrada no site de fato.

O cadastro de seu trabalho irá ficar dessa forma:

A listagem de seu trabalho no site Opensea irá ficar nesse estilo:

Note o botão “SELL” (em azul) no topo dessa tela. Para finalmente listar seu NFT para venda, clique em Sell. Selecione o preço ou se deseja vender por leilão. Clique em “Post Your Listing” e siga as instruções em sua carteira Ethereum.

Se essa for sua primeira vez vendendo NFT no site Opensea, você irá ter que pagar uma taxa de gas (gas fee) antes de listar seu trabalho na blockchain.

Essa transação irá criar um contrato inteligente (smart contract) para sua carteira. Esse custo é alto mas você precisa pagar somente uma vez.

Caso você queira listar seus itens em outra criptomoeda, como Bitcoin, você também irá precisar desse token mas a taxa será com certeza muito menor.

Essa taxa é paga somente na primeira vez que você colocar algum NFT para vender.

Ao colocar seus próximos trabalhos para venda, você não terá mais custos pois seu smart contract na blockchain ethereum já está pago.

Vender NFT no Opensea

O processo de cadastro do seu primeiro trabalho para vender no Opensea é bem simples. Creio que a etapa mais difícil seria fazer seu cadastro pessoal para usar essa plataforma.

O único desafio agora, seria pagar a taxa em Ethereum para sua primeira listagem. Mas, seguindo os passos do site, você irá conseguir finalizar o cadastro de sua arte nesse marketplace poderoso de NFT.

Tela para vender NFT no site Opensea
Tela para vender NFT no site Opensea

Essa é a tela para concluir o cadastro do seu NFT para vender online na plataforma. Vamos analisar alguns dos ítens que você irá preencher nessa tela:

  • Set Price

Nesse caso, você irá vender seu trabalho a um preço fixo. Inclua o preço no ítem “Price“. A opção “Include Ending Price” permite que o site baixe o valor da sua arte até o limite especificado aqui, para vender mais rápido.

  • Highest Bid

Nessa tela, você irá configurar sua arte para ser vendida em leilão. No ítem Minimum Bid, você informa o lance mínimo. No Reserve Price, você estipula o valor mínimo para fechar a venda.

De Olho nas Taxas para Vender Arte Digital em NFT

Na parte final dessa tela, você irá notar algumas taxas que serão deduzidas quando seus trabalhos serem vendidos. Vamos analisar essas taxas e para finalizar vou lhe dar uma dica para vender seu NFT mais rápido.

O campo “Fees” mostra o percentual que será deduzido da sua venda. Essa taxa somente será cobrada quando você vender algo. Se sua venda for $100, o site irá deduzir $2,5.

Uma dica boa para vender sua arte NFT é prestar a atenção no campo Bounties. Esse campo é configurado em 1%, mas pode ser atualizado para até 2.5%.

O campo Bounties é a comissão que você irá pagar para os afiliados da Opensea que recomendam e vendem seus trabalhos.

Quanto mais alta essa comissão de afiliados, mais chances você terá de vender sua arte, pois a comissão para esses blogs serão maiores.

Muitos artistas tendem a deixar essa comissão em 1% e outros tentam até mesmo tirar.

Minha recomendação é colocar esse percentual no máximo (2.5%) o que irá fazer que os blogs parte do programa de afiliados da Opensea coloquem sua arte em destaque para vender.

Um bom início para vender arte digital

Esse post já lhe deu uma boa idéia do processo de vender arte digital em marketplaces especializados. Aqui mostrei todo o processo que deve ser utilizado no site Opensea.

Existem muitas outras opções, mas isso é assunto para um post futuro. Agora, faça seu cadastro no site Opensea e comece a explorar o maior marketplace de arte digital do mundo.

O que é Bitcoin? Fatos e Mitos

O que é Bitcoin? A aplicação Blockchain mais popular de todas. Quais são os mitos e fatos sobre essa criptomoeda? Nesse texto super fácil, você vai entender de uma vez por todas o conceito de Bitcoin e para o que serve. Saiba ps mitos e verdades sobre a moeda digital mais usada no mundo. Continue lendo…

O que é Bitcoin - Fatos e Mitos sobre a criptomoeda
O que é Bitcoin – Fatos e Mitos sobre a criptomoeda

Várias pessoas enxergam a moeda Bitcoin com desconfiança, enquanto outros são entusiastas e defensores.

Bitcoin é a criptomoeda mais famosa do mundo. Uma moeda digital que é gerenciada por um software distribuido (não centralizado em um único computador) ninguém tem poder para interferir em seu funcionamento.

Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin (BTC) deixou claro em seu “white-paper” que a moeda digial foi feita para ser o “dinheiro do povo”, dando o poder as pessoas que fazem uso dessa moeda digital.

O Bitcoin também é chamado de ouro digital pois ele está protegido contra todas influências financeiras do mundo. Uma maneira fácil, segura, rápida e de baixíssimo custo para enviar e receber dinheiro.

Essa moeda digital, mesmo depois de muitos anos funcionando, ainda provoca entusiasmo, medo, confusão, e muitos não entendem seu conceito básico. Nesse post, vamos analisar os fundamentos e identificar os fatos e mitos sobre a criptomoeda BTC.

Vamos iniciar com uma visão bem fácil e simples, tendo como exemplo o ouro no sistema monetário.

O ouro possui um suprimento limitado no mundo. Da mesma forma, isso ocorre como o BTC que roda em computadores distribuidos pelo mundo, sem uma central definida, sem dono e sem gerentes.

Todos os detalhes da sua arquitetura são disponíveis para análise ao público e não podem ser alteradas devido a forma de sua programação e distribuição do software em vários servidores.

Mineração de Bitcoin

A programação define que irá existir 21 milhões de Bitcoins no mundo. Nada mais que isso.

O BTC precisa ser “minerado” para existir. Muitos já foram e estão guardados por seus proprietários, mas muitos ainda precisam passar por esse processo para ficar disponível no mercado.

A mineração de Bitcoin é feita por computadores configurados para executar um software complexo que resolve algoritmos criptográficos. Como pagamento, os mineradores recebem frações de Bitcoin e também taxas de transação.

Todas as informações sobre o Bitcoin fica armazenado em um registro público chamado Blockchain que inclui os envios e recebimentos, taxas e muito mais. Tudo é público e não há surpresas nem perguntas sobre essa questão.

Você pode ler mais sobre o que é Blockchain em um post simples que irá lhe explicar mais detalhes dessa tecnologia. Bitcoin é a aplicação mais famosa da Blockchain.

Carteira Digital

Você precisa uma carteira digital para conseguir receber e enviar Bitcoins. Existem várias opções de carteiras Bitcoin grátis e pagas.

Caso você perder sua carteira ou senha e outras informações de recuperação, você irá perder seus Bitcoins e não existe forma de recuperá-los. É muito importante manter cópias físicas muito bem guardadas com suas informações sobre a carteira BTC.

Para converter o Bitcoin em dinheiro real, você vai precisar usar um serviço de exchange.

As exchanges e carteiras são sites onde você pode depositar dinheiro com seu cartão de crédito para comprar Bitcoin, vender, enviar e receber. Não somente BTC, mas outras criptomoedas. A Coincorner é uma das opções que faz exatamente isso.

Coincorner - carteira para comprar Bitcoin e outras criptomoedas no Brasil
Coincorner – carteira para comprar BTC e outras criptomoedas no Brasil

Variedade de Moedas Digitais

O Bitcoin é um software e pode ser copiado ou reescrito para criar novas criptomoedas.

Isso já foi feito milhares de vezes e hoje temos uma grande variedade de criptomoedas incluindo Dogecoin, Litecoin, Ethereum, Ripple, Stellar, Cardano, etc. Claro, o Bitcoin continua sendo a mais usada e a mais popular entre todas.

Vamos aos Fatos

Com essa visão clara e simples sobre essa moeda digital, vamos agora analisar o que falam sobre Bitcoin e sua veradicidade:

Bitcoin é uma pirâmide financeira
Não. Bitcoin é uma criptomoeda (ou moeda digital). Essa moeda pode ser usada em uma pirâmide financeira da mesma forma que o Real, Dólar ou Euro. Mas não, Bitcoin em sí não é pirâmide financeira.

O Bitcoin é um golpe e não tem valor.
Não, não é um golpe/fraude. Mesmo por não ter nada físico como apoio, não significa que não vale nada. O bitcoin tem seu valor real, assim como o dólar e o euro, os quais também não são apoiados por nenhum ativo físico tangível.

Muitos bancos e empresas de investimento possuem uma carteira enorme de Bitcoins pois entenderam a validade do projeto e seu valor como “ouro digital”.

Bitcoin é uma moeda atividades criminosas?
O Bitcoin pode ser trocado anonimamente e muitos ataques de ransomware exigem pagamentos de resgate em Bitcoin. É possível comprar drogas e armas pela dark web usando Bitcoin. Ninguém pode saber quem enviou ou recebeu qualquer um desses pagamentos.

Mas, isso tudo pode ser rastreado, da mesma forma que 12 pessoas foram presas em um sequestro que receberam o resgate com Bitcoin (https://edition.cnn.com/2019/01/13/americas/12-arrested-in-costa-rican-kidnapping-scheme/index.html).

Embora as atividades ilegais sejam verdade, há duas razões básicas pelas quais apenas uma pequena porcentagem – cerca de 2% – das transações de Bitcoin são ilegais (muito, mas muito menos mesmo que dinheiro físico).

A primeira é que o registro da blockchain é público. Com isso, é possível ver todo o histórico de transações de qualquer carteira Bitcoin e chegar na exchange/carteira que essa foi feita.

Em segundo lugar, não há como sacar anonimamente seu Bitcoin obtido de forma ilícita. Você tem que usar uma exchange, que requer suas informações pessoais e financeiras, e você seria preso no momento em que tentasse sacar.

Na verdade, o dinheiro físico é realmente anônimo e impossível de rastrear, enquanto as transações de Bitcoin estão todas listadas na blockchain e são públicas para que todos possam rastrear e analisar. A lavagem de bitcoins é um risco substancialmente maior do que o dnheiro físico.

O Bitcoin pode ser hackeado?
O Bitcoin em sí, não pode ser hackeado com a tecnologia atual, pois sua criptografia está muito além da capacidade de qualquer sistema computacional conseguir quebrar.

No entanto, os computadores estão sempre se tornando mais poderosos e existem conceitos como computação quântica que no futuro poderiam facilitar essa tarefa. Muitos pesquisadores estimam que o Bitcoin é confiavelmente seguro contra hacker por cerca de algumas décadas. Durante esse período, analistas podem usar para acompanhar potenciais falhas do software que o gerencia.

As pessoas e empresas que usam Bitcoin podem ser hackeadas. Alguém pode entrar em sua casa, sentar em seu computador, abrir sua carteira de Bitcoins que está com a senha salva e enviar todo seu saldo para outro lugar.

Ações como essa já aconteceram e continuarão acontecendo, mas não há nada sobre esses ataques que seja exclusivo sobre Bitcoin ou que o torne a moeda mais vulnerável do que cartões de crédito ou contas bancárias.

Bitcoin não é amigável ao meio ambiente?
No início, a mineração de Bitcoins podia ser feita em um computador pessoal em casa. Hoje, com os algoritmos criptográficos mais complexos e os pagamentos por mineiração mais baixos, as empresas montam fazendas de computadores no custo de milhões de dólares para conseguir minerar Bitcoin com lucro.

A mineração de Bitcoin realmente consome muita energia além da emissão de carbono mais alto de qualquer tipo de transação financeira.

Todas as indústrias têm algum custo de carbono, mas o Bitcoin esta entre os piores. Mas, vale lembrar que cerca de 40% da eletricidade vem de fontes renováveis, e essa porcentagem também continuará a aumentar – assim como para todas as outras indústrias que consomem eletricidade.

O Bitcoin é volátil e a bolha vai estourar?
Sim, é volátil e, sim, sua bolha estourou várias vezes. Isso é característica de novos mercados. Normalmente, o que acontece é que as grandes oscilações vão se acalmar à medida que se torna mais estável. O valor do BTC ao longo do tempo apresentou tendência de alta, e a maioria dos analistas espera que isso também se acalme e acabe se estabilizando em uma valorização constante. Quão estável? Ninguém sabe. Sua tendência de longo prazo continuará ascendente.

Se você perder sua carteira Bitcoin ou sua senha, você irá perder tudo?
Sim, está realmente perdido. Existem alguns serviços que prometem lhe ajudar com isso, mas de forma limitada. Se isso não funcionar, ou se você não tiver o tipo de carteira que eles trbalham, ou se você perdeu o identificador da sua carteira, ninguém pode ajudá-lo.

Muitos dos Bitcoins existentes estão perdidos permanentemente. Ninguém sabe quanto e as estimativas variam. Dizem que cerca de 20% do total, valendo mais de 100 bilhões de dólares. Não há como saber se um determinado Bitcoin está guardado em uma carteira cujo dono tem a capacidade de acessá-lo ou se está em uma carteira que foi perdida permanentemente. O ponto principal é que, se você possui algum BTC, não perca as informações. Mantenha cópias físicas do número que identifica sua carteira, frases de recuperação, senhas, etc.

Conclusão

Como você viu, o Bitcoin não é um bixo de 7 cabeças como muitos pensam. É mais seguro e mais fácil que o dinheiro físico. Espero que esse post tenha lhe ajudado a entender um pouco mais sobre essa criptomoeda que é conhecida como “ouro digital”.

Com todo esse avanço, ficamos pensando no que irá surgir no futuro. E você? Vai criar sua carteira BTC agora que já sabe de mais detalhes sobre a moeda?

Blockchain – O que é Token?

Sempre que você leu sobre Blockchain, arte em NFT, Bitcoin ou outras criptomoedas, provavelmente já viu essa palavra em muitos dos textos. Mas afinal, o que é token? Nesse post irei explicar de uma forma muito fácil o conceito de token em Blockchain e incluir exemplos de onde é utilizado. Continue lendo!

Blockchain - O que é Token?
Blockchain – O que é Token?

É muito fácil encontrar essa palavra em textos de sites e blogs sobre Blockchain e criptomoedas. Você provavelmente já leu várias vezes mas sempre ficou com aquela dúvida do que realmente é.

Veja aqui alguns livros interessantes sobre Blockchain

Em nossos últimos posts sobre arte digital (NFT) o conceito de token fica bem claro, ao explicar, que ele está diretamente voltado a garantir a propriedade de algo.

Para lhe ajudar, nesse post você vai entender o conceito e também ver que sua aplicação é muito ampla e está sendo cada vez mais utilizada em várias áreas. Não somente na área de criptomoedas, arte digital, mas também na área de imóveis, empresas, etc.

Provavelmente, você está lendo esse post para completentar o que sabe sobre Blockchain. Caso não saiba nada ainda, convido você a ler o post “O que é Blockchain?“.

O que é Token?

Simples, rápido e fácil: é uma representação digital de algo (ativo) real. Simples assim.

Mas, o token tem algum valor financeiro? Sim! O valor depende do valor do ativo real que ele representa.

Como um exemplo bem prático:

Um museu precisa de dinheiro para reformas e decide “tokenizar” uma de suas obras para arrecadar fundos. Em troca, os investidores terão participação de propriedade nessa obra.

Se a obra tokenizada custa U$1,000,000.00 (um milhão de dólares) e existem 1 milhão de tokens a representando, cada token terá o valor de U$1.

Os investidores podem comprar quantos tokens desejarem.

No futuro, caso a obra seja vendida, os proprietários irão receber o valor de seu investimento mais a valorização que foi paga a mais pelo comprador do quadro fisico.

Uma start-up pode tokenizar seu lançamento oferecendo tokens para investidores interessados em ter participação na empresa (ICO – Initial Coin Offering).

Vamos lembrar novamente dos conceitos de arte em NFT. O NFT significa “Non Fungible Token” o que faz com que somente uma pessoa pode ter a propriedade da arte digital.

Nesse caso, o token é o que garante a propriedade da arte digital. Ao vender, o token vai para o comprador.

Complementando:

Token: representa algo em formato digital
Tokenizar: transformar algo no formato digital

A grande vantagem: roda em Blockchain o que significa que é totalmente decentralizado, garantindo segurança superior a contratos assinados com papel.

Tokens na blockchain Ethereum usam contratos inteligentes (contratos digitais – smart contracts).

Desse modo, é possível afirmar que um token ou cripto-token é um tipo de criptomoeda que representa algum ativo e que possui sua especificação armazenada na Blockchain. Uma cripto-moeda é um dinheiro digital usado para facilitar transações financeiras com a segurança da Blockchain.

Os tokens podem ser utilizados para investimentos, fazer compras, ou simplesmente guardar o valor investido.

É muito comum start-ups utilizarem o investimento em token para captação de dinheiro ou para compras coletivas antes de iniciarem suas operações.

Mais detalhes sobre O que é Token

Cripto-tokens são representações de criptomoedas. As criptomoedas ou moedas digitais rodam em Blockchain. Blockchain é um banco de dados que armazena as informações em blocos sequenciais ligados entre sí por algoritmos de criprografia.

Isso garante uma segurança extrema das informações armazenadas. A informação armazenada na blockchain é incorruptivel, transparente e imutável. Leia mais em “O que é Blockchain?“.

Com isso, o uso dos tokens não tem limite.

Uma loja pode ter um token que representa seus clientes leais e armazena os pontos que podem ser usados em sua rede ou até mesmo em empresas parceiras.

A AmazonPrime ou a Netflix podem usar tokens que incluem 15 dias de acesso grátis aos seus serviços.

Nada impede de termos um token que representa 10 Bitcoins, por exemplo, em uma Blockchain fechada e restrita a um grupo de participantes.

Start-Ups – ICO

As start-ups lançam suas ICO (Initial coin offering) que são versões digitais das IPO’s. Os tokes são criados a partir de uma criptomoeda. Os investidores compram os tokens usando a criptomoeda em que o token foi criado.

Os tokens podem ser utilizados em diversas maneiras. Os compradores podem manter os tokens como um investimento na start-up para vender no futuro, quando a empresa se valorizar. O investidor também pode trocar ou fazer compras utilizando o token.

Perguntas Frequentes

O que é um Token?
Token é a representação digital de algo real. Um token representa algo que pode ser comercializado e permite, ao seu proprietário, usar como investimento ou para comprar algo. O proprietário também pode vender o token.

Qual a utilidade de um token?
Os tokens são utilizados para captar dinheiro – Exemplo: comprar ações de uma empresa ou ter um percentual da propriedade de uma obra de arte.

Bitcoin é um token?
Não. Bitcoin é um a criptomoeda (moeda digital) que pode ser utilizada para compra e troca.

Conclusão

Um token é uma representação de algo em formato digital e não se restringe a representação de um ativo digital, na área de cripto-moedas. Os tokens são utilizados para se ter a titularidade de algo e também fazer sua transferência a outra pessoa. As características são segurança, transparência, e flexibilidade, pois ficam armazenados na Blockchain.

O uso de contratos digitais na Blockchain Ethereum é algo que faz com que o uso de tokens podem ser aplicados em várias áreas. Você faz o limite.

Contato


Capitalismo Consciente - Eliane Davila