O que é Bitcoin? Fatos e Mitos

O que é Bitcoin? A aplicação Blockchain mais popular de todas. Quais são os mitos e fatos sobre essa criptomoeda? Nesse texto super fácil, você vai entender de uma vez por todas o conceito de Bitcoin e para o que serve. Saiba ps mitos e verdades sobre a moeda digital mais usada no mundo. Continue lendo…

O que é Bitcoin - Fatos e Mitos sobre a criptomoeda
O que é Bitcoin – Fatos e Mitos sobre a criptomoeda

Várias pessoas enxergam a moeda Bitcoin com desconfiança, enquanto outros são entusiastas e defensores.

Bitcoin é a criptomoeda mais famosa do mundo. Uma moeda digital que é gerenciada por um software distribuido (não centralizado em um único computador) ninguém tem poder para interferir em seu funcionamento.

Satoshi Nakamoto, o criador do Bitcoin (BTC) deixou claro em seu “white-paper” que a moeda digial foi feita para ser o “dinheiro do povo”, dando o poder as pessoas que fazem uso dessa moeda digital.

O Bitcoin também é chamado de ouro digital pois ele está protegido contra todas influências financeiras do mundo. Uma maneira fácil, segura, rápida e de baixíssimo custo para enviar e receber dinheiro.

Essa moeda digital, mesmo depois de muitos anos funcionando, ainda provoca entusiasmo, medo, confusão, e muitos não entendem seu conceito básico. Nesse post, vamos analisar os fundamentos e identificar os fatos e mitos sobre a criptomoeda BTC.

Vamos iniciar com uma visão bem fácil e simples, tendo como exemplo o ouro no sistema monetário.

O ouro possui um suprimento limitado no mundo. Da mesma forma, isso ocorre como o BTC que roda em computadores distribuidos pelo mundo, sem uma central definida, sem dono e sem gerentes.

Todos os detalhes da sua arquitetura são disponíveis para análise ao público e não podem ser alteradas devido a forma de sua programação e distribuição do software em vários servidores.

Mineração de Bitcoin

A programação define que irá existir 21 milhões de Bitcoins no mundo. Nada mais que isso.

O BTC precisa ser “minerado” para existir. Muitos já foram e estão guardados por seus proprietários, mas muitos ainda precisam passar por esse processo para ficar disponível no mercado.

A mineração de Bitcoin é feita por computadores configurados para executar um software complexo que resolve algoritmos criptográficos. Como pagamento, os mineradores recebem frações de Bitcoin e também taxas de transação.

Todas as informações sobre o Bitcoin fica armazenado em um registro público chamado Blockchain que inclui os envios e recebimentos, taxas e muito mais. Tudo é público e não há surpresas nem perguntas sobre essa questão.

Você pode ler mais sobre o que é Blockchain em um post simples que irá lhe explicar mais detalhes dessa tecnologia. Bitcoin é a aplicação mais famosa da Blockchain.

Carteira Digital

Você precisa uma carteira digital para conseguir receber e enviar Bitcoins. Existem várias opções de carteiras Bitcoin grátis e pagas.

Caso você perder sua carteira ou senha e outras informações de recuperação, você irá perder seus Bitcoins e não existe forma de recuperá-los. É muito importante manter cópias físicas muito bem guardadas com suas informações sobre a carteira BTC.

Para converter o Bitcoin em dinheiro real, você vai precisar usar um serviço de exchange.

As exchanges e carteiras são sites onde você pode depositar dinheiro com seu cartão de crédito para comprar Bitcoin, vender, enviar e receber. Não somente BTC, mas outras criptomoedas. A Coincorner é uma das opções que faz exatamente isso.

Coincorner - carteira para comprar Bitcoin e outras criptomoedas no Brasil
Coincorner – carteira para comprar BTC e outras criptomoedas no Brasil

Variedade de Moedas Digitais

O Bitcoin é um software e pode ser copiado ou reescrito para criar novas criptomoedas.

Isso já foi feito milhares de vezes e hoje temos uma grande variedade de criptomoedas incluindo Dogecoin, Litecoin, Ethereum, Ripple, Stellar, Cardano, etc. Claro, o Bitcoin continua sendo a mais usada e a mais popular entre todas.

Vamos aos Fatos

Com essa visão clara e simples sobre essa moeda digital, vamos agora analisar o que falam sobre Bitcoin e sua veradicidade:

Bitcoin é uma pirâmide financeira
Não. Bitcoin é uma criptomoeda (ou moeda digital). Essa moeda pode ser usada em uma pirâmide financeira da mesma forma que o Real, Dólar ou Euro. Mas não, Bitcoin em sí não é pirâmide financeira.

O Bitcoin é um golpe e não tem valor.
Não, não é um golpe/fraude. Mesmo por não ter nada físico como apoio, não significa que não vale nada. O bitcoin tem seu valor real, assim como o dólar e o euro, os quais também não são apoiados por nenhum ativo físico tangível.

Muitos bancos e empresas de investimento possuem uma carteira enorme de Bitcoins pois entenderam a validade do projeto e seu valor como “ouro digital”.

Bitcoin é uma moeda atividades criminosas?
O Bitcoin pode ser trocado anonimamente e muitos ataques de ransomware exigem pagamentos de resgate em Bitcoin. É possível comprar drogas e armas pela dark web usando Bitcoin. Ninguém pode saber quem enviou ou recebeu qualquer um desses pagamentos.

Mas, isso tudo pode ser rastreado, da mesma forma que 12 pessoas foram presas em um sequestro que receberam o resgate com Bitcoin (https://edition.cnn.com/2019/01/13/americas/12-arrested-in-costa-rican-kidnapping-scheme/index.html).

Embora as atividades ilegais sejam verdade, há duas razões básicas pelas quais apenas uma pequena porcentagem – cerca de 2% – das transações de Bitcoin são ilegais (muito, mas muito menos mesmo que dinheiro físico).

A primeira é que o registro da blockchain é público. Com isso, é possível ver todo o histórico de transações de qualquer carteira Bitcoin e chegar na exchange/carteira que essa foi feita.

Em segundo lugar, não há como sacar anonimamente seu Bitcoin obtido de forma ilícita. Você tem que usar uma exchange, que requer suas informações pessoais e financeiras, e você seria preso no momento em que tentasse sacar.

Na verdade, o dinheiro físico é realmente anônimo e impossível de rastrear, enquanto as transações de Bitcoin estão todas listadas na blockchain e são públicas para que todos possam rastrear e analisar. A lavagem de bitcoins é um risco substancialmente maior do que o dnheiro físico.

O Bitcoin pode ser hackeado?
O Bitcoin em sí, não pode ser hackeado com a tecnologia atual, pois sua criptografia está muito além da capacidade de qualquer sistema computacional conseguir quebrar.

No entanto, os computadores estão sempre se tornando mais poderosos e existem conceitos como computação quântica que no futuro poderiam facilitar essa tarefa. Muitos pesquisadores estimam que o Bitcoin é confiavelmente seguro contra hacker por cerca de algumas décadas. Durante esse período, analistas podem usar para acompanhar potenciais falhas do software que o gerencia.

As pessoas e empresas que usam Bitcoin podem ser hackeadas. Alguém pode entrar em sua casa, sentar em seu computador, abrir sua carteira de Bitcoins que está com a senha salva e enviar todo seu saldo para outro lugar.

Ações como essa já aconteceram e continuarão acontecendo, mas não há nada sobre esses ataques que seja exclusivo sobre Bitcoin ou que o torne a moeda mais vulnerável do que cartões de crédito ou contas bancárias.

Bitcoin não é amigável ao meio ambiente?
No início, a mineração de Bitcoins podia ser feita em um computador pessoal em casa. Hoje, com os algoritmos criptográficos mais complexos e os pagamentos por mineiração mais baixos, as empresas montam fazendas de computadores no custo de milhões de dólares para conseguir minerar Bitcoin com lucro.

A mineração de Bitcoin realmente consome muita energia além da emissão de carbono mais alto de qualquer tipo de transação financeira.

Todas as indústrias têm algum custo de carbono, mas o Bitcoin esta entre os piores. Mas, vale lembrar que cerca de 40% da eletricidade vem de fontes renováveis, e essa porcentagem também continuará a aumentar – assim como para todas as outras indústrias que consomem eletricidade.

O Bitcoin é volátil e a bolha vai estourar?
Sim, é volátil e, sim, sua bolha estourou várias vezes. Isso é característica de novos mercados. Normalmente, o que acontece é que as grandes oscilações vão se acalmar à medida que se torna mais estável. O valor do BTC ao longo do tempo apresentou tendência de alta, e a maioria dos analistas espera que isso também se acalme e acabe se estabilizando em uma valorização constante. Quão estável? Ninguém sabe. Sua tendência de longo prazo continuará ascendente.

Se você perder sua carteira Bitcoin ou sua senha, você irá perder tudo?
Sim, está realmente perdido. Existem alguns serviços que prometem lhe ajudar com isso, mas de forma limitada. Se isso não funcionar, ou se você não tiver o tipo de carteira que eles trbalham, ou se você perdeu o identificador da sua carteira, ninguém pode ajudá-lo.

Muitos dos Bitcoins existentes estão perdidos permanentemente. Ninguém sabe quanto e as estimativas variam. Dizem que cerca de 20% do total, valendo mais de 100 bilhões de dólares. Não há como saber se um determinado Bitcoin está guardado em uma carteira cujo dono tem a capacidade de acessá-lo ou se está em uma carteira que foi perdida permanentemente. O ponto principal é que, se você possui algum BTC, não perca as informações. Mantenha cópias físicas do número que identifica sua carteira, frases de recuperação, senhas, etc.

Conclusão

Como você viu, o Bitcoin não é um bixo de 7 cabeças como muitos pensam. É mais seguro e mais fácil que o dinheiro físico. Espero que esse post tenha lhe ajudado a entender um pouco mais sobre essa criptomoeda que é conhecida como “ouro digital”.

Com todo esse avanço, ficamos pensando no que irá surgir no futuro. E você? Vai criar sua carteira BTC agora que já sabe de mais detalhes sobre a moeda?

Blockchain – O que é Token?

Sempre que você leu sobre Blockchain, arte em NFT, Bitcoin ou outras criptomoedas, provavelmente já viu essa palavra em muitos dos textos. Mas afinal, o que é token? Nesse post irei explicar de uma forma muito fácil o conceito de token em Blockchain e incluir exemplos de onde é utilizado. Continue lendo!

Blockchain - O que é Token?
Blockchain – O que é Token?

É muito fácil encontrar essa palavra em textos de sites e blogs sobre Blockchain e criptomoedas. Você provavelmente já leu várias vezes mas sempre ficou com aquela dúvida do que realmente é.

Em nossos últimos posts sobre arte digital (NFT) o conceito de token fica bem claro, ao explicar, que ele está diretamente voltado a garantir a propriedade de algo.

Para lhe ajudar, nesse post você vai entender o conceito e também ver que sua aplicação é muito ampla e está sendo cada vez mais utilizada em várias áreas. Não somente na área de criptomoedas, arte digital, mas também na área de imóveis, empresas, etc.

Provavelmente, você está lendo esse post para completentar o que sabe sobre Blockchain. Caso não saiba nada ainda, convido você a ler o post “O que é Blockchain?“.

O que é Token?

Simples, rápido e fácil: é uma representação digital de algo (ativo) real. Simples assim.

Mas, o token tem algum valor financeiro? Sim! O valor depende do valor do ativo real que ele representa.

Como um exemplo bem prático:

Um museu precisa de dinheiro para reformas e decide “tokenizar” uma de suas obras para arrecadar fundos. Em troca, os investidores terão participação de propriedade nessa obra.

Se a obra tokenizada custa U$1,000,000.00 (um milhão de dólares) e existem 1 milhão de tokens a representando, cada token terá o valor de U$1.

Os investidores podem comprar quantos tokens desejarem.

No futuro, caso a obra seja vendida, os proprietários irão receber o valor de seu investimento mais a valorização que foi paga a mais pelo comprador do quadro fisico.

Uma start-up pode tokenizar seu lançamento oferecendo tokens para investidores interessados em ter participação na empresa (ICO – Initial Coin Offering).

Vamos lembrar novamente dos conceitos de arte em NFT. O NFT significa “Non Fungible Token” o que faz com que somente uma pessoa pode ter a propriedade da arte digital.

Nesse caso, o token é o que garante a propriedade da arte digital. Ao vender, o token vai para o comprador.

Complementando:

Token: representa algo em formato digital
Tokenizar: transformar algo no formato digital

A grande vantagem: roda em Blockchain o que significa que é totalmente decentralizado, garantindo segurança superior a contratos assinados com papel.

Tokens na blockchain Ethereum usam contratos inteligentes (contratos digitais – smart contracts).

Desse modo, é possível afirmar que um token ou cripto-token é um tipo de criptomoeda que representa algum ativo e que possui sua especificação armazenada na Blockchain. Uma cripto-moeda é um dinheiro digital usado para facilitar transações financeiras com a segurança da Blockchain.

Os tokens podem ser utilizados para investimentos, fazer compras, ou simplesmente guardar o valor investido.

É muito comum start-ups utilizarem o investimento em token para captação de dinheiro ou para compras coletivas antes de iniciarem suas operações.

Mais detalhes sobre O que é Token

Cripto-tokens são representações de criptomoedas. As criptomoedas ou moedas digitais rodam em Blockchain. Blockchain é um banco de dados que armazena as informações em blocos sequenciais ligados entre sí por algoritmos de criprografia.

Isso garante uma segurança extrema das informações armazenadas. A informação armazenada na blockchain é incorruptivel, transparente e imutável. Leia mais em “O que é Blockchain?“.

Com isso, o uso dos tokens não tem limite.

Uma loja pode ter um token que representa seus clientes leais e armazena os pontos que podem ser usados em sua rede ou até mesmo em empresas parceiras.

A AmazonPrime ou a Netflix podem usar tokens que incluem 15 dias de acesso grátis aos seus serviços.

Nada impede de termos um token que representa 10 Bitcoins, por exemplo, em uma Blockchain fechada e restrita a um grupo de participantes.

Start-Ups – ICO

As start-ups lançam suas ICO (Initial coin offering) que são versões digitais das IPO’s. Os tokes são criados a partir de uma criptomoeda. Os investidores compram os tokens usando a criptomoeda em que o token foi criado.

Os tokens podem ser utilizados em diversas maneiras. Os compradores podem manter os tokens como um investimento na start-up para vender no futuro, quando a empresa se valorizar. O investidor também pode trocar ou fazer compras utilizando o token.

Perguntas Frequentes

O que é um Token?
Token é a representação digital de algo real. Um token representa algo que pode ser comercializado e permite, ao seu proprietário, usar como investimento ou para comprar algo. O proprietário também pode vender o token.

Qual a utilidade de um token?
Os tokens são utilizados para captar dinheiro – Exemplo: comprar ações de uma empresa ou ter um percentual da propriedade de uma obra de arte.

Bitcoin é um token?
Não. Bitcoin é um a criptomoeda (moeda digital) que pode ser utilizada para compra e troca.

Conclusão

Um token é uma representação de algo em formato digital e não se restringe a representação de um ativo digital, na área de cripto-moedas. Os tokens são utilizados para se ter a titularidade de algo e também fazer sua transferência a outra pessoa. As características são segurança, transparência, e flexibilidade, pois ficam armazenados na Blockchain.

O uso de contratos digitais na Blockchain Ethereum é algo que faz com que o uso de tokens podem ser aplicados em várias áreas. Você faz o limite.

Arte Digital – O que é NFT?

Arte NFT – como essa inovação está impactando o mercado das artes beneficiando artistas de várias áreas e inclusive restaurantes. Conheça detalhes interessantes sobre arte digital (cripto-arte) e como artistas estão tirando proveito dessa onda. Nesse post, vou explicar de uma maneira fácil “O que é NFT“.

O universo da arte digital está revolucionário a realidade de como os artistas vendem suas obras. A tecnologia blockchain é uma aliada dos artistas que se utilizam da autenticação de NFT’s para adicionar propriedade a suas obras e valor único de escassez.

As aplicações são infinitas e já podemos ver músicos, artistas plásticos, escritores, jogos online e até mesmo empresas como restaurantes ou redes de fast foods que utilizam este recurso que esta inovando o mercado da arte em todo o mundo.

Antes de falar sobre as aplicações práticas nessas áreas vamos verificar o que é NFT e como esse sistema protege e garante a autenticidade para arte digital. Nesse post, você vai conhecer em mais detalhes como os NFT’s fazem a disrupção do mercado da arte e beneficiam os artistas que deixam de ser explorados por intermediários.

O que é NFT?

NFT significa non fungible token – token não fungível. Isso é: uma peça única e não tangível que é adicionada na Blockchain.

Essa arte pode ser desenho, gif animado, poema, música, itens para usar em jogos online, a representação gráfica de um item do menu de uma rede de restaurante famoso, até mesmo a tela de um tweet deletado de uma celebridade.

Por ser adicionada na blockchain, essa peça de arte digital está garantida como única e com sua propriedade totalmente protegida por meio de um contrato inteligente (smart-contract).

Somente uma pessoa pode ter a propriedade dessa arte digital (NFT) o que garante exclusividade e segurança.

O artista poderia inclusive criar um sistema de royalties que se ativaria sempre que sua obra for negociada por terceiros. Dessa forma, caso um comprador quiser re-vender a obra no futuro, o contrato inteligente irá calcular o percentual dessa transação, gerando uma renda passiva ao artista.

A venda futura de alguma arte digital (NFT) poderia representar muito dinheiro, pois a obra original pode estar mais valorizada alguns anos depois de sua compra original devido a vários fatores como a popularidade do artista, escassez de seus trabalhos, etc.

Tudo isso é feito de forma automática, por meio de smart contracts, armazenados e personalizados, ficando ativos na Blockchain Ethereum.

Vale lembrar do meu post “O que é Blockchain?” que explica em detalhes a inovação e segurança dessa rede decentralizada. Como a arte NFT é baseada em Blockchain, você pode esperar o máximo de segurança da mesma forma que acontece com as criptomoedas.

Colecionar Arte Digital (NFT)?

Todo conceito e dinâmica das cripto-artes é fascinante, mas, com certeza, você deve estar se perguntado sobre o motivo de comprar uma arte digital que, muitas vezes, podem necessitar de um investimento muito alto.

Existem alguns casos extremos como a venda recorde da obra digital “Everydays: The First 5000 Days” por mais de $69 milhões em Março de 2021. O que explica uma compra de uma arte digital por esse preço?

A arte NFT "Everydays: The First 5000 Days"  do artista Beeple foi vendida por mais de U$69 milhões, em Março de 2021.
A arte NFT “Everydays: The First 5000 Days” do artista Beeple foi vendida por mais de U$69 milhões, em Março de 2021.

Para melhor explicar, podemos comparar uma arte original que está a mostra em um museu com suas reproduções que podem ser baixadas pela internet, inclusive em alta resolução.

Quando eu visitei o Museu do Louvre, eu estava calmamente apreciando cada uma das salas enquanto a Eliane estava anciosa para entrar em uma única seção: a do quadro da Mona Lisa.

Essa, era a seção do museu mais lotada e disputada. Era praticamente impossível de você tirar uma foto junto com o quadro Mona Lisa. Mas, por que essa euforia toda? Aposto que todos alí já viram cópias dessa pintura e, como falei antes, já baixaram réplicas na internet.

O grande lance é que esse era o quadro original da Mona Lisa, pintada pelo renomado Leonardo Da Vinci. Ninguém está com interesse em comprar uma réplica do quadro Mona Lisa na Amazon, mas todos querem ver o quadro original.

Eliane visitando o quadro original - Mona Lisa de Leonardo Da Vinci - Museu do Louvre em Paris.
Eliane visitando o quadro original – Mona Lisa de Leonardo Da Vinci – Museu do Louvre em Paris.

A mesma coisa se repete com a arte NFT: você pode baixar as obras, mas você não possui a propriedade. Colecionadores e investidores de arte podem ganhar milhões com suas obras originais com certificado de propriedade na Blockchain, mas quem possui uma cópia pirata é facilmente identificado e seu valor é nulo.

Quem é fã de algum artista pode aumentar seu inventário de itens com arte NFT colecionáveis que estão disponíveis de forma limitada. A medida que a fama desse artista aumenta e mais colecionadores se interessam por suas obras, mais valorizado ficam seus NFT’s.

Essa tecnologia começou a ganhar entusiastas desde a venda dos famosos CryptoKitties onde participantes desse jogo vendiam gatos digitais que eram disputados, dólar a dólar, em leilões online.

Leilão de Arte Digital NFT

A forma mais comum de venda de NFTs em arte digital é em forma de leilão online. Existem vários sites de leilão de arte digital e os artistas participam em mais de um para aumentar seu alcance e atingir vários colecionadores interessados.

Entre os sites estão o Opensea.io que oferece um marketplace muito completo para quem se interessa em arte digital. No site você poderá ver todos trabalhos a venda e também expor sua arte. As pessoas interessadas enviam lances diretamente para o artista que decide em vender ou não.

Site Opensea: um canal de vendas de arte NFT muito completo.
Site Opensea: um canal de vendas de arte NFT muito completo.

Vale lembrar que qualquer item digital pode ser vendido em um site de leilão de arte NFT. Você pode encontrar a tela de um site que não existe mais, o tweet de alguma celebridade, desenho, música, gif animado, animação em vídeo, gravação de voz, etc. Sendo digital, você pode vender e comprar qualquer item digital.

Os preços são especificados em Ethereum (ETH) por isso, é essencial que você tenha uma carteira dessa criptomoeda – até porque tudo isso acontece na Blockchain ETH e isso é assunto para um post futuro.

Vamos analizar algumas possibilidades de arte em NFT e suas aplicações práticas.

Música

Já existem casos de bandas famosas que utilizam arte em NFT para oferecer itens colecionáveis a seus fãs. As possibilidades para os músicos é bem ampla podendo incluir uma grande variedade de colecionáveis digitais. Veja algumas ideias:

  • Músicas exclusivas:

A banda poderia lançar músicas complementares a seu novo disco. Os fãs poderiam entrar em algum site de leilão de arte digital e dar lances para comprar, e ser o único dono dessa música. Assim, o comprador teria direitos de execução da música.

  • Arte Colecionável de bandas

Ao lançar um novo álbum ou no aniversário de um disco clássico do rock, a banda poderia lançar materiais gráficos comemorativos de forma limitada. Os fãs dariam lances para ganhar o leilão e seriam proprietários de uma arte digital exclusiva com tiragem limitada.

Jogos Online

O mercado dos video games, a cada ano, movimenta bilhões e quebra recordes . Existem muitas aplicações para clássicos dos jogos digitais através da tecnologia NFT na Blockchain.

Lembro que quando eu jogava o popular Donkey Kong, em determinado momento que eu tinha que abandonar o jogo, tudo que eu tinha conquistado havia sido perdido e eu tinha que iniciar toda batalha novamente.

A tecnologia NFT em jogos digitais é algo muito revolucionário permitindo que os jogadores comprem itens extras para lhe ajudar durante a partida. Também, no caso mais famoso do jogo CryptoKitties, os participantes compravam itens colecionáveis que não estavam disponíveis no jogo aberto.

Em um jogo de futebol online, os competidores poderiam comprar atletas extras com habilidades muito superiores aos outros.

Quanto você acha que os fãs fanáticos pelo “Mario” pagariam por uma arte exclusiva feita pelo seu criador?

Nas aplicações para jogos digitais, o céu é o limite. Existe uma gama enorme de aplicações para os entusiastas dos jogos online multi-players e, com certeza, as empresas desenvolvedoras estão de olho nessa área.

Com o grande avanço e rentabilidade dos jogos online, as aplicações NFT irão aumentar de forma exponencial.

Filmes e Vídeos

Da mesma forma, a indústria cinematográfica está muito presente nas plataformas de arte digital. Existem vídeos de celebridades do cinema e atletas que foram vendidos na Blockchain e geraram milhões de dólares a seus criadores.

Os fãs fanáticos pela série Game of Thrones ou Walking Dead com certeza pagariam pequenas fortunas por itens colecionáveis referente a seus artistas favoritos e mesmo conteúdo exclusivo não transmitido na TV.

Escritores

Um escritor poderia lançar um poema ou alguma história exclusiva que se tornaria um item muito atrativo para seus leitores colecionadores. Indo mais além, um final alternativo de um livro campeão de vendas poderia ser disputado de forma intensa entre os fãs. Imagina você ser o único a possuir um final alternativo do livro “Mulheres que correm com os lobos”, de Clarissa Pinkola Estés, “1984”, de George Orwell, ou “O poder do hábito”, de Charles Duhigg?

Tenho certeza que a concorrência nos sites de leilão de arte digital seria insana.

Restaurantes e Arte Digital

Em meu exemplo final, fica claro que a aplicação de arte em NFT é sem limites e depende somente da criatividade. Rede de restaurantes com fama internacional estão utilizando dessa tecnologia para vender versões digitais de itens de seu menu.

Uma rede famosa de fast food recentemente anunciou a retirada de um item de seu menu que era recorde de vendas. Em meio a protesto dos fãs, a rede anunciou que o item estaria disponível em forma de cripto-arte (arte digital NFT). Imediatamente fãs começaram a comprar e colecionar seus itens favoritos.

A onda dos NFTs está somente iniciando

Apesar de todo o sucesso e compras multi-milionárias, a onda dos NFTs está somente iniciando. Com certeza os artistas estão eufóricos com as possibilidades dessa tecnologia e suas inúmeras vantagens:

  • Sem burocracia;
  • O artista não precisa de intermediários;
  • Negociação direta e segura na Blockhain;
  • Renda passiva através de Royalties.

Em um post anterior, eu escrevi em detalhes o que é cripto-arte, e agora com os conceitos de NTF presentes nesse artigo, com certeza, você irá familiarizar-se mais ainda com essa inovação no mundo das artes.

Nos próximos posts, irei explicar em detalhes, como artistas podem iniciar na arte em NFT, pesquisar sobre qual site utilizar, como fazer seu cadastro e vender seus itens digitais.

O que é Criptoarte?

Nesse post vou explicar o que é Criptoarte e como esse novo conceito está ajudando artistas em todo o mundo. Criptoarte utiliza blockchain, que é uma tecnologia cheia de detalhes que pode parecer muito complicado de entender, mas, na verdade, seu conceito é muito simples. Toda essa tecnologia beneficia vários tipos de negócios, como já mencionei do post “Aplicações na Blockchain“.

Agora, muitos artistas estão se beneficiando da Blockchain para vender sua arte digital (criptoarte) de forma segura. A área de criptoarte está valorizando os artistas que podem divulgar e vender suas obras para qualquer colecionador do mundo.

Os artistas estão criando galerias com essa tecnologia e produzindo obras virtuais numeradas ou únicas. Assim, os artistas usam a blockchain para assinar e autenticar suas obras de arte digital (cripto-arte, crypto art, ou cripto-colecionáveis) de forma a garantir a propriedade a seu comprador mesmo que não sendo um objeto físico.

Se você não lembra os conceitos básicos de Blockchain, volte ao meu primeiro post sobre esse assunto – O que é Blockchain?

O que é Criptoarte? Obras digitais a venda no site OpenSea, especializado em arte digital.
O que é Criptoarte? Obras digitais a venda no site OpenSea, especializado em arte digital.

Como é Feito?

A assinatura blockchain é conectada a uma arte digital produzida pelo artista que pode ser uma pintura no formato PNG, fotografia, música, uma animação gráfica abstrata, e muitos outros gráficos, videos e animações.

Somente uma pessoa pode oficialmente possuí-la, no caso da peça ser única. A arte-digital pode ser vendida para um crescente número de colecionadores usando marketplaces (sites especializados em compra e venda) específicos para esse fim.

Claro, você pode, por exemplo, fazer cópias (print) da imagem original, mas ela não irá conter a autenticação do artista, deixando a obra sem valor de originalidade.

Com isso, o lugar mais seguro para comprar e vender arte digital é utilizando alguma aplicação de criptoarte na Blockchain, onde os colecionadores estão sempre em busca de obras raras, com tiragens limitadas e autenticadas como únicas.

Os investidores compram uma arte digital única e rara para manter em seus computadores. Isso não é nada diferente de um investidor que compra quadros raros para estocá-los em um quarto de sua casa (com propósito de investimento).

Posso comparar essa tendência da criptoarte com a época em que os primeiros livros digitais (e-books) foram lançados. Muitas pessoas não gostavam (e muitas até hoje não gostam), com o motivo de não ser um livro de verdade, feito com papel e que se pode colocar em sua biblioteca particular, manusear, virar as páginas sentindo o livro na sua mão, etc.

Hoje em dia, muitos estão acostumados com seus e-books (eu particularmente tenho uma grande biblioteca de livros virtuais) que, muitas vezes, nem estão em seu computador ou celular.

No caso do mercado de arte digital, os primeiros colecionadores podem ser comparados com as primeiras pessoas que aceitaram os e-books.

Criptoarte – arte em formato digital

Pense comigo: quando um artista faz uma obra e a assina, esse trabalho se torna raro e único. Ao fazer cópias sem a autenticação, essa obra perde seu valor.

O grande problema na arte digital é que podemos facilmente reproduzir uma imagem que está na internet, sem perder a qualidade de sua resolução.

Aqui entra o conceito de criptoarte, que, ao adicionar uma assinatura única na Blockchain, garante que a arte original seja cobiçada por colecionadores de arte. Uma proteção muito eficiente para o artista.

Por exemplo, todos nós podemos ter a obra Monalisa impressa em nossa mesa, mas a original é única. Para quem é colecionador, isso importa muito.

Dessa forma, quando uma arte digital possuir um token de assinatura (autenticação), essa obra ganha um valor de originalidade. Os investidores podem armazenar suas obras ou vendê-las a outras pessoas. Somente quem possui a assinatura válida de proprietári@ da obra (que está armazenada na Blockchain ) pode ter acesso a opção de venda.

Da mesma forma, os direitos autorais e a propriedade do investidor, por estarem registradas na Blockchain, são incorruptíveis.

O mercado de criptoarte tem crescido muito justamente por essa segurança oferecida ao artista e ao proprietário da obra. As obras digitais podem ser negociadas usando criptomoedas que podem ser convertidas em dinheiro normal de qualquer país.

Site para comprar e vender Criptoarte: pinturas, videos, animações, gifs, etc.
Site para comprar e vender Criptoarte: pinturas, videos, animações, gifs, etc.

Comunidades de CriptoArte

Existem comunidades de artistas digitais de todo o mundo. Algumas delas estão fazendo, suas obras independentes, pela primeira vez, após encontrar as comunidades de criptoartistas. Entre as plataformas que são utilizadas para se reunirem estão o Telegram, Discord, Minds, Crowdcast entre outros.

A maioria das plataformas de criptoarte são plataformas colaborativas, como o site dada.art, em que os artistas derrubam os conceitos tradicionais dessa economia. Através da cooperação entre artistas-plataforma, essa inovação permite valorizar muito mais as obras e negociá-las sem intermediários, o que, em muitos caso, em exploram o artista.

A inovação nesses ambientes colaborativos é fascinante. Existem vários tipos de artistas que trabalham com diferentes tipos de arte: arte digital, gifs, videos, fazendo que as plataformas tornem-se um ambiente de experimentos. Os artistas acabam fazendo um intercâmbio de conhecimento entre sí e contam com o suporte dos colecionadores de arte para melhorarem seu portfólio e estilo das obras.

As plataformas de criptoarte estão aí para democratizar a produção de arte e valorizar muito os artistas.

Abaixo você pode conhecer algumas opções de sites especializados. São marketplaces para criptoarte. Esses são apenas alguns dos sites especializados em vender criptoarte. Artistas se cadastram e expõem suas obras.

  • Dada https://dada.art
  • OpenSea https://opensea.io/
  • Rarible https://rarible.com/
  • Mintbase https://mintbase.io/
  • KnownOrigin https://knownorigin.io/
  • SuperRare https://superrare.co/

NFT – Non Fungible Token

Basicamente, NFT’s (tokens não fungíveis) são propriedades não tangíveis que você pode deixar disponível para sempre na Blockchain. Revendo nossos conceitos sobre Blockchain, significa que ao você colocar um desenho na Blockchain, essa peça será única e irá ficar disponível para sempre já que a tecnologia Blockchain é imutável. Dessa maneira, artistas estão muito empolgados com essa possibilidade e estão movimentando a área da arte digital.

Podemos falar que NFT é uma forma de autenticar uma obra de arte digital e garantir que ela pertence a certa pessoa, como se fosse um certificado digital.

Com isso, qualquer obra de arte digital produzida por um artista pode ser vendida com total segurança em um sistema 100% protegido contra fraude (blockchain). Esse é um dos motivos que essa área está literalmente explodindo e o que é o melhor: está somente iniciando.

Outro ponto importante é que os artistas podem estipular royalties sobre suas peças. Assim, sempre que a obra for revendida, o artista irá receber um percentual dessa negociação garantindo uma fonte de renda passiva. E isso ocorre de forma automática nos contratos digitais ao cadastrar a obra digital na Blockchain Ethereum.

Tudo o que os artistas sonharam se tornou realidade, graças a tecnologia Blockchain. Agora é partir para a produção e se beneficiar do universo NFT.

Considerações parciais

Nesse post, você entendeu o que é Criptoarte e já sabe que a tecnologia Blockchain é a base dessa inovação. Sobre as partes mais técnicas desse assunto, irei deixar para um próximo post, onde irei explicar a questão da autenticidade das obras. Esse é justamente o que caracteriza criptoarte.

Também pretendo aprofundar o assunto postando um guia de como os artistas podem iniciar a vender suas obras digitais em plataformas de criptoarte. O assunto é bem extenso e essa introdução propõe uma compreensão básica sobre essa possibilidade espetacular para os artistas.

Criatividade em aplicações Blockchain

Você quer conhecer exemplos práticos da criatividade em aplicações Blockchain? Um texto fácil e simples de entender para você aprender como funcionam as aplicações inovadoras baseadas em Blockchain.

Nesse post, eu vou escrever some algumas aplicações criativas utilizando Blockchain. Agora que você já sabe o que é Blockchain, por meio do meu primeiro post, vamos explorar a prática dessa tecnologia. Vamos ver as inovações que estão acontecendo no mundo que utilizam a tecnologia Blockchain.

O que as pessoas querem hoje é transparência – as pessoas querem credibilidade; um produto ou serviço que elas podem confiar. A tecnologia Blockchain cai como uma luva nesse requisito. A possibilidade de se ter uma blockchain pública mostra a transparência e confiabilidade de um negócio. Com isso, as pessoas sabem que a informação é acessível e verdadeira pelas várias características dessa tecnologia. Relembrando o post “O que é Blockchain?” vamos listar algumas das grandes vantagens:

  • Informações distribuídas: as informações que foram validadas e aceitas pelo consenso da rede, são distribuídas para milhares de servidores;
  • Anti-fraude: a manipulação de uma informação já incluída iria desencadear um erro de rede, onde os outros servidores iriam sobrepor a informação errada;

Existem muitas aplicações criativas utilizando Blockchain, justamente para passar essa transparência e confiabilidade que é uma forte característica dessa tecnologia.

Abaixo, vou listar algumas aplicações criativas desenvolvidas utilizando Blockchain. Algumas delas eu já utilizo e outras conheci por meio de minhas pesquisas e estudos nessa área. Existem muitas start-ups que estão utilizando Blockchain em seus projetos.

Veja a criatividade em aplicações Blockchain em alguns exemplos:

Steemit

Steemit é uma plataforma de blog e stream de video (dTube) que está sendo muito utilizada por blogueiros de todo o mundo, justamente por sua segurança e confiabilidade. Muitos que utilizam essa plataforma, já foram banidos de plataformas centralizadas como o Youtube, WordPress, ou Blogger e perderam todos seus trabalhos. Ao migrar para plataformas distribuídas, esses bloggers têm a certeza de que seus trabalhos estarão online para sempre.

A plataforma de blog Steemit utiliza o conceito open-source e distribuído. Ao postar um texto, foto ou vídeo no Steemit, seu conteúdo será validado e incluído na Blockchain. Relembrando o conceito, significa que seu conteúdo será distribuido entre vários servidores e estará disponível para sempre, 100% do tempo.

Se um dos computadores utilizados pela plataforma Steemit é desligado, milhares de outros estarão ligados com a sua informação cadastrada. O processo é transparente ao usuário final e a garantia e segurança é enorme.

O melhor de tudo é que a plataforma Steemit possui um sistema de monetização inovador e muito lucrativo. A plataforma oferece vários meios de monetização dos blogs incluindo a curadoria de conteúdo, publicação, doação, e o token interno que se chama STEEM. Vale a pena conferir!

Steemit: um blog criativo baseado em Blockchain - Criatividade em aplicações Blockchain
Steemit: um blog criativo baseado em Blockchain

Minds

Minds é uma rede social muito parecida com o Facebook, mas com grandes vantagens em termos de monetização e segurança. Sim, eu falei monetização!

O Minds é projetado em código-aberto e utiliza a Blockchain para a segurança e estabilidade das informações. Um dos grandes destaques do Minds é sem dúvida a possibilidade dos participantes serem monetizados em diversas formas.

A plataforma permite vídeo, blog, e fotos. A newsfeed é muito similar a do Facebook, mas com a grande diferença de oferecer blog e canal de vídeo e ainda ter suporte a conteúdo pago. Criadores de conteúdo podem cobrar de sua audiência um valor mensal para acessar seus conteúdos.

Uma rede social muito criativa e interessante.

Minds - rede social que oferece monetização a seus participantes - Criatividade em aplicações Blockchain
Minds – rede social que oferece monetização a seus participantes

OpenSea

OpenSea é um marketplace para cripto-colecionáveis (crypto-collectibles), que são gráficos únicos ou criados em quantidade limitada para serem comercializados na internet. Existem colecionadores de cripto-colecionáveis que entram no site e compram suas exclusividades. Os cripto-colecionáveis são incluidos de forma única na Blockchain, podem somente pertencer a uma pessoa por vez. O mercado de cripto-colecionáveis existe para suprir essa demanda.

Os cripto-colecionáveis estão somente online e você usa dinheiro real para comprá-los. O site OpenSea é um “eBay” de cripto colecionáveis. Esses gráficos podem ser animais, também chamados de “CryptoKitties“, personagens, desenhos variados, e tudo que se pode imaginar em termos de gráficos. Com esse projeto podemos ver a criatividade em aplicações Blockchain em um ambiento inovador.

E para você que pensa que cripto colecionáveis é besteira, fique sabendo que existem itens sendo vendidos por mais de U$1000.000!

OpenSea - market place para crypto colecionáveis - Criatividade em aplicações Blockchain
OpenSea – market place para crypto colecionáveis

Ujo

Ujo é um projeto especialmente desenvolvido para ajudar músicos a deixarem a burocracia e exploração da indústria da música para serem compensados de forma justa. A plataforma permite que os músicos registrem suas obras e vendam-as direto a sua audiência (peer-to-peer).

Quando alguém compra uma música ou um álbum inteiro, o artista recebe seu pagamento quase que instantaneamente. No caso de ter financiamento de pessoas, todos que contribuoram com a obra irão receber dividendos proporcionais a seu investimento.

Os fundadores do serviço reforçam que mesmo se o site deixar de existir, as obras registradas estarão para sempre na Blockchain.

Música - compartilhamento, venda, e colaboração para músicos sem intermediários.
Música – compartilhamento, venda, e colaboração para músicos sem intermediários,

BitRights

BitRights é um serviço voltado ao registro e licenciamento de trabalhos artísticos. Por exemplo, um desenhista, artista plástico, escritor, músicos, fotografo, ou outro profissional das artes podem registrar seus trabalhos na Blockchain e estipular termos de licença (preço e como o trabalho poderá ser utilizado). Através do smart contract, o cliente pode licenciar o uso dos trabalhos.

Voltado para o licenciamento de conteúdos criativos, o profissional envia seus trabalhos digitais e acessa um certificado de propriedade e de licença usando a Blockchain. Pode-se definir os termos de uso, preço e até mesmo o número de vezes que o trabalho poderá ser licenciado.

O profissional cria seu perfil na plataforma com todos seus trabalhos disponíveis e conecta sua conta bancária para uma monetização quase que instantânea ao licenciar um de seus trabalhos.

Criatividade em aplicações Blockchain

Muitas Outras Aplicações Criativas

Esses foram somente alguns exemplos. Existem dezenas de start-ups iniciando suas atividades todos os meses oferecendo inovação em serviços para facilitar sua vida com o uso da tecnologia Blockchain. O que mais podemos citar:

Cripto-Arte

Cripto-arte é algo que está crescendo muito entre museus e leilões de arte. Diferente da start-up que oferece cripto colecionáveis (arte criativa virtual na Blockchain), a área de cripto-arte atua com obras de arte reais que podem estar dentro de um museu, em qualquer lugar do mundo. Com a pandemia do coronavírus, muitos museus iniciaram a expor suas obras pela internet. Essa tecnologia inovadora, permite aos visitantes entrarem no museu e andar pelos corredores apreciando quadros e esculturas. Isso foi um avanço nessa área que está ajudando o museu e seus visitantes.

Com a aplicação Cripto-art, um museu poderia, por exemplo, precisar fazer a restauração de uma obra muito valiosa. Investidores de todo o mundo podem colaborar com essa restauração, aplicando seu dinheiro nessa obra. Com isso, o investidor se torna sócio (ou parte de um grupo de proprietários dessa obra). Após a restauração concluida, o preço da obra irá valorizar e os investidores podem vender sua participação ou aguardar até a obra ser vendida e receber lucros proporcionais ao valor investido.

Smart Contracts

Contratos Inteligentes - Smart Contracts - Blockchain

Os Smart Contracts (contratos inteligentes) são contratos digitais que possuem condições e poder de auto executar alguma tarefa. Podem ser utilizado em várias circunstâncias como na área financeira, seguro, compra/venda, e muito mais. A grande vantagem dos Smart Contracts é o poder de atuar diretamente entre as partes envolvidas, sem precisar nenhum intermediário externo.

Por exemplo, alguém pode fazer um contrato de venda de seu carro. O comprador e vendedor incluem as condições: preço e burocracia de transferência da documentação. Quando todas condições forem cumpridas, o contrato irá se auto-executar-se e realizar o processamento final que seria passar o carro vendido para o nome do comprador. Caso as condições de venda não forem cumpridas, o contrato não se valida e não executa o processo de venda.

Aqui a criatividade em aplicações Blockchain é voltada para solucionar problemas diários que a burocracia na área do direito pode ocasionar. Sem intermediários, peer-to-peer, com a transparência e confiabilidade da tecnologia Blockchain.

Loterias

Uma das maiores reclamações e desconfianças dos apostadores de loterias é justamente como o sorteio é executado. As loterias baseadas em blockchain solucionam esse problema e agora apostadores podem ter certeza que estão jogando em uma loteria confiável.

Como funciona? Lembra das hash’s que são geradas a cada transação na Blockchain? (Falei isso no meu post “O que é Blockchain”). A Hash é uma sequência de números e letras que são gerados de acordo com a informação que foi incluída na Blockchain. Cada combinação de palavras e números irá gerar uma hash diferente, o que significa que é impossível adivinhar a próxima hash.

A loteria em Blockchain, define que o número vencedor será os quatro últimos números da hash que irá ser publicada na Sexta-feira às 15h.

Impossível de prever ou adivinhar para fraudar a loteria. A segurança e confiabilidade da Blockchain mais uma vez, garante a veracidade das informações que podem ser conferidas pessoalmente pelos apostadores.

Saúde

A área da saúde está muito presente em vários projetos Blockchain. Existe um projeto que me chamou muita atenção que se baseia em cadastrar tudo referente a saúde de uma pessoa: medicamentos que toma regularmente, procedimentos já feitos, patologias que já teve, tendências que possui, exames, tratamentos, enfim… tudo referente a saúde. Essas informações ficam armazenadas na Blockchain de forma privada, permitindo que somente pessoas que tenham autorização do paciente tenham acesso. Isso facilitaria no caso de atendimento por um médico que não conhece o paciente. Nesse mesmo caso, custos de cirurgias e outros procedimentos poderiam ser enviados e compartilhados diretamente com a seguradora do paciente como forma de prova.

Alimentação

O setor de alimentação está com um projeto que inicia com um teste na área de frutos do mar envolvendo criadores, distribuidores e restaurantes. A ideia e manter um arquivo do histórico desde a criação dos peixes até a chegada em um restaurante. Com isso, o chef responsável de um restaurante, de frutos do mar ou sushi, poderá acessar toda trajetória do salmão. Como exemplo exemplo, podemos citar onde o salmão foi criado; como se alimentou; diagnóstico de tratamento; venda e armazenamento na distribuidora; compra pelo restaurante; transporte, etc… Por meio de uma simples leitura de um código , poderá ser possível acessar todo o histórico do produto.

Criatividade em aplicações Blockchain para modernizar o mundo

A internet moderna permite que você contrate/compre/venda ativos que são utilizados no mundo físico. Esses ativos são codificados e armazenados na Blockchain e são públicos e distribuídos ficando claro que pertence a você. Uma forma de proteção de suas informações e compras que você faz, inibindo fraudes e roubos.

A blockchain está inovando a maneira em que as pessoas fazem negócios, eliminando intermediários e a burocracia. Essa tecnologia já está transformando vários setores e é um avanço que não têm volta. As pessoas buscam por confiabilidade e transparência – exatamente o que a Blockchain oferece.

Como você pode ver, a criatividade em aplicações Blockchain podem ser vistas em vários projetos que já estão ativos. Existem muitos outros acontecendo e com certeza irei menciona-los em posts futuros.

Continue lendo nossa área de Blockchain para as últimas novidades e inovações dessa tecnologia.

O que é Blockchain?

Nada melhor que iniciar a área de Blockchain no site elianedavila.com, explicando o que é Blockchain de uma forma fácil e simples para você entender de vez seu funcionamento. Para isso, eu preparei um texto muito fácil e simples de ler, pois meu objetivo é que você saiba o que é Blockchain para que nos próximos posts, você entenda as aplicações práticas dessa tecnologia espetacular.

Vamos explorar a tecnologia Blockchain desde o início, por meio de seu conceito e de exemplos básicos e fáceis com sugestões de aplicações práticas e exercícios para você entender sobre o assunto.

Antes de iniciar a explicação sobre o que é Blockchain, vou explicar aqui o que Blockchain não é, pois muitas pessoas se confundem e têm ideias erradas sobre essa tecnologia.

  • Blockchain não é uma moeda digital / não é uma criptomoeda;
  • Blockchain não é uma linguagem de programação;
  • Blockchain não é um esquema de pirâmide para ganhar dinheiro.

Conceito de Blockchain

Blockchain é uma tecnologia – uma sequência de blocos conectados contendo informações que são distribuídas em uma rede.

BLOCOS: como um exemplo fácil de entender a respeito dos blocos, imagine uma caixa (bloco) onde você vai incluir revistas (informações). Em algum momento, essa caixa vai encher e você irá fecha-la e identifica-la. Então irá pegar mais uma caixa para continuar o processo.

Blockchain assemelha-se a um livro digital, totalmente seguro e incorruptível, que registra informações em uma forma sequencial.

Podemos também afirmar que Blockchain é uma sequência de informações que são armazenadas de forma que nada pode alterar ou deletar nenhum dado incluído. Com isso, não se faz necessário uma autoridade externa (um cartório, um juiz, um auditor…) para verificar a autenticidade de uma informação armazenada na Blockchain.

Uma vez registrada, a informação é validada pelo software que utiliza um procedimento complexo de criptografia (codificação) para então ser armazenada na Blockchain.

A partir desse momento, essa informação é distribuída pela rede de milhares de servidores, tornando-a totalmente segura e transparente.

Isso significa que todas as informações da Blockchain são distribuídas entre milhares de computadores. Todos possuem uma cópia da Blockchain e sistemas de validação para verificar a autenticidade das informações.

O que é Blockchain?

O que faz a Blockchain tão segura?

Antes de explicar, gostaria que você lembrasse do famoso jogo de quebra-cabeça – todo mundo conhece e já montou um ao longo da vida. Imagine um jogo de quebra-cabeça de uma linha horizontal, onde uma peça se encaixa em duas (uma a sua esquerda e uma a sua direita do bloco).

Na Blockchain, cada bloco inclui informações extras como:

  • Identificador do bloco anterior;
  • Hash ( já comento sobre esse termo);
  • Informações

Hash? O que é isso? Hash é uma função de criptografia, que codifica e identifica de forma única a informação que você inclui na Blockchain e também é utilizada na codificação e identificação dos blocos, para tornar essa informação fixa e inalterável.

Por exemplo, se eu incluir “Eliane” na Blockchain, a hash criptografada irá resultar em:

68d8af254077d8ab18b780dbc43771a6d645792a4ebd724bc1d9b84547bf3994

A hash utiliza todas informações para serem codificadas e seguras: data, hora, e informações extras.

  • Cada informação ou transação registrada dentro de um bloco, possui uma Hash para identificação única;
  • Cada bloco de informações ou transações adicionado a Blockchain, possui uma Hash que o identifica como único;
  • Cada bloco possui a identificação Hash do bloco anterior.

Um dos detalhes mais importantes da Hash, é que a função de codificação é usada somente em um caminho, ou seja, você não consegue descriptografar/decodificar essa informação para obter o conteúdo original de sua entrada.

Cada transação/informação incluída em um bloco é identificada pelo valor único gerado pela Hash.

Cada bloco possui uma Hash única gerada a partir de seu conteúdo. Além disso, cada bloco inclui a identificação Hash do bloco anterior. Com isso, forma-se a corrente de blocos (Blockchain) garantindo a integridade das informações contidas na rede e distribuídas por milhares de computadores.

Como cada bloco inclui a identificação Hash do bloco anterior, é impossível modificar qualquer informação incluída em um bloco sem corromper a corrente de blocos.

A alteração das informações dentro de um bloco iria gerar uma Hash diferente fazendo com que os blocos não se conectessem mais (cada bloco inclui a identificação Hash do bloco anterior).

Isso faz a Blockchain a tecnologia mais segura de todas. Na sequência, apresento mais alguns exemplos.

O que é Blockchain?
Cada bloco inclui a Hash do bloco anterior – interligando e formando a corrente de blocos.

A conexão entre os blocos é feita pela Hash que aponta para o bloco anterior, simbolizada na imagem como “<— Bloco 1”, “<— Bloco 2”, etc. Mas, na verdade, a Hash é uma sequência de números e letras codificando a informação original e servindo como identificador único de cada bloco.

Como pode ver, não é possível mover os blocos, pois eles estão interligados com a identificação do bloco anterior.

Qualquer alteração iria mudar o identificador e o próximo bloco iria perder a conexão com o bloco afetado, quebrando a corrente.

Essa situação iria durar pouco, pois existem milhares de cópias da Blockchain distribuídas e o software que roda de forma autônoma iria detectar qual node está inválido, reescrevendo a parte afetada.

O que é Blockchain?

Revendo nosso exemplo de Blockchain acima, vamos imaginar a seguinte situação de tentativa de alteração de alguma informação de algum bloco:

  • Um hacker experiente consegue acessar o Bloco 2 e alterar uma informação;
  • A Hash (identificação) do Bloco 2 será alterada, pois cada informação gera uma Hash diferente;
  • O bloco 3 contém a Hash (identificação) correta do Bloco 2;
  • O conector dos blocos que é a Hash, não é válida e o erro é propagado pela rede;
  • A rede declara a cadeia de blocos como sendo inválida;
  • Outros servidores que incluem cópia da Blockchain reescreve o bloco 2, reestabelecendo a conexão entre os blocos;

Segurança Total

Os dados da Blockchain são distribuídos entre milhares de servidores. Cada computador parte da rede possui uma cópia de toda Blockchain, e toda nova informação incluída em um bloco é propagada pela rede de servidores.

Dessa maneira, fica impossível de alguma informação ser alterada, pois não se trata de um único computador contendo essa informação, mas sim uma rede de milhares de nodes (pontos) contendo cópias da mesma informação.

No caso de alteração de um bloco em um servidor, o resto da rede não irá aceitar informações vinda de uma Blockchain inválida.

Segurança garantida pelo Protocolo de Consenso

Você já sabe que a Blockchain é distribuída entre milhares de nodes (ou usuários ou servidores), e cada um desses nodes atuam diretamente em cada informação incluída em um bloco e na validação/inclusão de novos blocos. Todas máquinas precisam concordar sobre a validade das informações antes de incluir um novo bloco.

Então, sempre que um novo bloco for adicionado, todas as máquinas devem validar a inclusão desse bloco utilizando procedimentos específicos de um protocolo de consenso. Cada máquina chega a um consenso sobre a validade do bloco utilizando um método padrão de verificação.

As máquinas então verificam a autenticidade do bloco e validando todas informações contidas nele, utilizando algoritmos próprios. Ao chegar no consenso de que o bloco é válido, o novo bloco é marcado como parte da Blockchain.

Revisando…

  • A Blockchain permite armazenar informações de forma muito segura;
  • P2P (ponto-a-ponto/peer-to-peer): informação direta entre pessoas, sem intermediários;
  • Milhares de computadores possuem cópia da Blockchain;
  • Todos pontos atuam na validação de novos blocos;
  • O sistema que conecta os blocos torna impossível modificar as informações já incluídas na Blockchain.

A Blockchain utiliza como base a segurança e autenticidade das informações. Com isso, todos podem incluir informações com a garantia que estas estarão a salvo de qualquer evento ou ataque de hackers. As informações são distribuídas e quando algum ponto se corrompe, o resto da rede irá recuperar a informação válida.

Na próxima etapa, iremos iniciar a analizar casos práticos de aplicação da tecnologia Blockchain. Não perca!

O que é Blockchain?
Descentralização – cópias da blockchain distribuidas por milhares de pontos

Futuro Decentralizado

A descentralização e a transparência é o ponto forte da tecnologia Blockchain. Por isso alguns amam, e outros odeiam.

Não existe como fraudar a Blockchain nem mesmo esconder nada. Uma vez feito, validado, e autenticado pelo consenso da rede, a informação é incluída na cadeia de blocos e nada pode afirmar ao contrário. Por esse motivo podemos ver a Blockchain funcionando perfeitamente em vários setores.

Os contratos de compra e venda, em breve serão feitos na Blockchain com total autenticidade dos dados, e você não precisaria mais ir a um cartório nem mesmo da presença de uma autoridade externa para verificar as informações. Uma vez incluída e autenticada pela rede, a informação é válida e não poderá ser alterada. Vamos deixar os Smart Contracts para um próximo post, pois este necessita de mais explicações.

Enfim, a descentralização é o futuro e um caminho sem volta. Vai acontecer cada vez mais e já pode ser vista em vários serviços que usamos hoje em dia, que as vezes nem notamos. Por exemplo, quando temos algum problema com o WhatsApp, não existe um número de uma “central” que nos atende “WhatsApp, boa tarde. No que podemos lhe ajudar?”. Não existe uma “central” pois o WhatsApp é decentralizado. Uber, iFood, NetFlix, e muitos outros utilizam esse conceito.

Alguns bancos mais modernos estão se adaptando a essa realidade e abandonando o conceito obsoleto da centralização. Da mesma forma, vários outros setores estão adotando a Blockchain para inovar e se adequar a nova realidade que já chegou, e como mencionei acima, é um caminho de ida – prefeituras, turismo, dinheiro, jogos, entretenimento, financeiro, etc.

O futuro decentralizado com a tecnologia Blockchain irá nos proporcionar muitos outros “WhatsApp’s”, “Uber’s”, “iFood’s”, e etc.

Nos próximos posts, vou entrar na parte de aplicação da Blockchain em vários serviços que já estão funcionando.