Considerações sobre a Criatividade Humana

Quando falamos em criatividade existem muitas vertentes e formas de enxergar esse fenômeno humano. A criatividade pode ser entendida como a maneira de imaginar  e se conectar com o mundo para resolver algum problema ou, simplesmente, buscar qualidade de vida, tanto individualmente como coletivamente.

Parece meio complexo, mas, na verdade, todos nós podemos desenvolver a criatividade tanto em empreendimentos pessoais e ou profissionais. O conceito nos leva a pensar sobre a relação com a nossa consciência e com nossa paixão pela vida.

Depois de falar sobre um possível conceito de criatividade, comento os autores da  Teoria do investimento Criativo, Sternberg e Lubart, desde 1991, enfatizam que o conhecimento é importante para que possamos realizar nossas sinapses neurais. Este repertório de experiências, adquirido, de maneira  formal e ou informal, é considerado muito importante para que possamos desempenhar nossas atividades de forma mais criativa e singular.

Os autores da teoria também comentam que para desempenharmos nossas atividades diárias, em casa ou no trabalho, é recomendável, entretanto, libertar-se  de uma única visão, ou seja, é aconselhável  que se tenha conhecimento de outras áreas, preferencialmente se for uma área que não tem conexão com a sua atividade.  Uma visão interdisciplinar da vida, das pessoas e de nossos negócios poderiam permitir novas sinapses e novas ideias.

A partir desse pensamento é que as Lives do Projeto, As Pessoas Inspiram, foram idealizadas. Esse repertório de conhecimento diversificado, por meio de conversas interdisciplinares, pode contribuir para o desenvolvimento da criatividade humana.  

Minha formação doutoral também contribuiu para que eu pudesse, confirmar, na prática, o que é conviver com áreas tão abrangentes como comunicação, história, literatura, além de todo o aprendizado da minha carreira profissional que foram relevantes para formação da pessoa que me tornei hoje.

Assim, participe dessa comunidade que acredita no ser humano como agente criativo e transformador do mundo!

Isso faz sentido para você?

Escutar com toda potência interior

Escutar é como que encontrar sentido nas palavras. É mais profundo que ouvir. Ultimamente venho tentando escutar mais do que ouvir. Escutar é colocar-se em um movimento generoso com o outro e comigo mesmo.

Escutar é uma habilidade a ser desenvolvida pelo ser humano para o encontro da empatia. Sintonizar a frequência da escuta. Perceber que o processo de entender o outro e a você mesmo exige entrega. Noto que poucos dedicam tempo a entender os outros e a si mesmos. Noto que os valores que regem a conduta de alguns não tem nada a ver com a suas crenças e valores. Vivemos em um mundo onde todos gritam, chamando a atenção, buscando reconhecimento e cultivando o ego que as deixa mais confortáveis com seu mundo sem escuta.

Quando direcionamos nossa mente a entender o que se passa co m o outro e com a gente mesmo, um milagre acontece. É como se o espelho da vida revelasse nossos esconderijos mais secretos. Os outros não são mais os outros, pois fazem parte de mim também. É curioso, mas acredito que o fato de escutar com toda nossa potência, libera nossas forças femininas de compreender e de se colocar no lugar do outro, processo que acontece, independente do gênero.

É como que nossos ouvidos fossem nossas forças femininas e os olhos nossas formas masculinas. Inalar e exalar, eis que voltamos a um dos mais primitivos atos humanos, a respiração. Respirar é a primeiro ato que realizamos na vida e este ato nos acompanhará até nosso último suspiro. No entanto, a escuta é aprendida, é um hábito que vamos aperfeiçoando ao longo da vida.

A porta está aberta para aqueles que querem escutar e não apenas ouvir. Muitas pessoas têm medo de dar o primeiro passo, pois é um campo de incertezas ali. Não sabemos o que vamos encontrar, na verdade. O que sabemos é que esse processo mudará você. Sua identidade será transformada, sua forma de ver o mundo se alterará.

Sempre tive comigo que viver é ousar, é sair da zona de conforto, é evoluir como ser humano. Assim, o processo de escuta tornou-se uma forma de consciência, uma forma de ligação espiritual que está me conduzindo a lugares que nunca transitei, mas que estão promovendo uma revolução interior que está potencializando o que tenho de melhor em mim mesmo e me fazendo ver o brilho e sombra de cada pessoa, não com tom de julgamento, mas no intuito de compreender o ser humano de uma forma mais ampla.

E você, já vivenciou o processo de escuta em sua vida?

A melodia da nossa Alma

Um excesso de urgência assolava nossas mentes até poucos dias. Depois um excesso de calmaria nos pegou de surpresa como se já não estivéssemos mais produtivos.

Mais adiante, vieram semanas de reflexão. Vieram momentos de pensar profundo, de recolhimento e de redefinições de rumos.

Em tempos incertos, a nossa alma pede para que semeamos nosso agir no mundo. O mundo pede para semear, mas não precisamos ter urgência.  A calma nos trará primaveras floridas.

Como em um instrumento de cordas, como um violão, nossa alma vai encontrando o equilíbrio para construir a música da nossa vida.  O excesso de aceleração nos deixa enérgicos, mas nem por isso produtivos em nossa jornada. Por outro lado, o excesso de calmaria  nos deixa apáticos em nosso caminhar.

A alma pede equilíbrio e nesse afinar de cordas musicais, vamos sintonizando nossos acordes musicais para a vida e para novas formas de nos expressar no mundo.

Que possamos começar a semana com o sentimento que devemos lançar nossas sementes enquanto nossa música vai encontrando a forma, criando as notas musicais e experimentando as diversas as afinações de rumos que a vida vai nos oferecendo.

Sigamos realizando o que precisa ser feito, mas aproveitando a jornada. Assim, vamos nos permitindo reconhecer as maravilhas que estão no nosso entorno. Deste modo, nossa alma vai se revelando, vai se despertando e conectando-nos ao nosso propósito de vida.  

Que a nossa música possa tocar os corações de muitas pessoas, assim como, por meio desse texto, tentei traduzir a voz do meu coração para tocar a alma vocês.

Ação Social

Sou apaixonada pela vida e tudo que ela já me proporcionou de aprendizado.

Este ano, sem podermos estar todxs juntxs, gostaria de contar com o apoio de vocês, em um gesto concreto, para a construção de um mundo melhor e mais solidário.

Em parceria com a ONG Parceiros Voluntários, instituição não Governamental, que há mais de 23 anos, atua como um hub social que conecta e engaja agentes de comunidades locais, em busca do desenvolvimento social, por meio da plataforma Uhuu Oficial, resolvemos criar um link exclusivo para doações.

100% dos recursos arrecadados serão utilizados para ajudar nos diversos projetos realizados pela ONG Parceiros Voluntários. O link ficará disponível até 30 de maio.

Gostaria muito que você apoiasse este gesto solidário, realizando sua contribuição e compartilhasse este post para que mais pessoas possam ter suas vidas impactadas. ?

Sigam a Uhhu Oficial e a ONG Parceiros Voluntários nas redes sociais e, quem sabe, não sejam, vocês, voluntárixs em suas regiões.

A Maria Elena Johannpeter, José Alfredo Nahas e Daniel Santoro, meu muito obrigada pelo apoio nesta ação.

A você, queridx amigx, conto com sua generosidade neste momento de pandemia.

Sintam-se todxs abraçadxs.❤️

Vamos fazer mais pessoas felizes!Acão social.Para saber mais click no link deste post.#parceirosvoluntaros #doação #impactarpessoas #ajudar #amorhttps://soma.uhuu.com/evento/rs/porto-alegre/ajude-a-ong-parceiros-voluntarios-9163

Posted by Eliane Davila on Saturday, 23 May 2020

A arte de mudar

Hoje eu acordei com vontade de mudar. Vontade que tenho, todos os dias, quando percebo que nosso propósito, na vida, é evoluir como ser humano.

Procurei sinônimos para a palavra mudança e encontrei na minha pesquisa: modificação, alteração, transformação, transmutação, transfiguração, metamorfose, mutação, transição, variação, conversão, oscilação, alternativa, alternância, alternação entre outros.

Os significados encontrados pareciam tão vazios, tão sem cor, como vejo tantas pessoas tão cinzas em espaços tão coloridos no mundo.

A mudança fez parte da minha vida, muitas vezes, pelo destino, mas na maioria das vezes, porque eu mesma me lancei à mudança. Mudar sempre me deu força e oxigenação. Enquanto via o dia começar e terminar, via o meu aflorar, o meu recolher.  Um dia acertando, outros dando um passo a trás para retomar o rumo.  Isso me mostrou o quanto somos frágeis e não temos controle sobre nossas vidas. A falsa crença de que temos o controle de nossas vidas nos impede de viver a mudança.

Mudar é ficar em situação de vulnerabilidade. É saber que muitos estão a nos julgar. É não ter certeza de nada, mas acreditar que é possível. A cada passo, uma nova descoberta, um novo começo. É interagir com o mundo, como uma dança. Assim, creio que a palavra mudança deveria ser ressignificada no dicionário. Sim!!!

A palavra mudança tem mais sentido quando percebo a magia que ela nos revela  com a dança. A arte de mudar, representa, como na dança, nossa capacidade de realizar nossos movimentos singulares, de deixar nossa alma encontrar o ritmo da vida e encontrar a si própria.

Todo passo de dança é uma poesia, é arte, é inspiração.

E você, qual passo de dança você está vivendo em sua vida? Seja gentil consigo e lance-se às experiências poéticas das Mu-danças.

Lançamento de News Mensal

O projeto Coffee and Work, no qual participo como pesquisadora, é uma plataforma que aproxima pessoas que amam conhecimento e desejam criar, transformar e ressignificar seus pensamentos e crenças a respeito da atividade de trabalho.

No final do mês de abril, com uma bela curadoria de conteúdo, o projeto avançou e lançou a sua primeira News Mensal. O objetivo é conectar os leitores e leitoras às informações mais relevantes dentro das diversas áreas do conhecimento.

A curadoria de conteúdo é uma forma muito interessante de ler ótimos conteúdos digitais, primando pela qualidade, de fontes confiáveis e com sua devida contextualização. O projeto Coffee and Work está preparado para fornecer os melhores conteúdos para você. 

Gostou da ideia? Inscreva-se para receber a News Mensal!

Acesse o logo abaixo para fazer sua inscrição.

O Palácio dos Ventos

Uma das coisas que mais me faz feliz é conhecer pessoas e lugares por esse mundo afora.

Sabemos que, em tempos de pandemia, o jeito é se reinventar e fazer essa interação, com outras culturas, dentro de nossa própria casa.

Fiquei assistindo um documentário na televisão, outro dia, e tomei conhecimento de um palácio construído a uns 200 anos, na cidade de Hawa Mahal, chamado Palácio dos Ventos.

Hawa Mahal é conhecida por ser a cidade Rosa, na Índia. Este palácio é lindo, conforme mostro na imagem. Pesquisando um pouco mais sobre o palácio eu descobri que ele foi construído para que as mulheres do harém de um marajá pudessem avistar a rua sem serem vistas pelos pedestres. O palácio tem 900 janelas. Fiquei imaginando essas mulheres, sem poder sair, olhando o mundo lá em baixo.

O direito de ir e vir foi negado a elas. Ainda hoje, as mulheres sofrem discriminação e a situação piora um pouco quando se casam, pois devem servir aos seus maridos,na maioria das vezes, na Índia.

Um mundo desigual para as mulheres em várias partes do mundo, infelizmente.

A chave de tudo está na educação e no respeito às mulheres.

Hoje, estamos em confinamento por outro motivo, mas quando estiver olhando pela sua janela, em sua casa, pense nas mulheres em todo o mundo e no que podemos fazer por todas as mulheres.

Somos todos seres humanos criativos

Cheguei a pensar, por algum tempo, que eu não era uma pessoa criativa.
Você também pode ter pensado assim em algum momento de sua vida.
É, por vezes, difícil imaginar que a criatividade está dentro de cada um de nós e pode ser acessada e desenvolvida ao longo da vida.


A criatividade é um comportamento e não um departamento dentro de nós. Um cérebro incomodado, um cérebro que busca realizar associações de pensamentos, tem a capacidade de ser criativo.
O ser humano é, por essência, criativo, mas noções estereotipadas de pensamentos sociais errôneos, trazem a ideia de que o ser criativo é aquele que trabalha com artes, publicidade e etc.


Assim, eu penso que ser criativo é estar em um estado de abundância mental, ou seja, é estar conectado com seu propósito de vida e buscar transformar vidas nesse caminho. Ser criativo, no dia a dia, é a capacidade de inovar e adquirir novas maneiras de usar os conhecimentos, por exemplo, trazendo a interdisciplinaridade para o seu trabalho; é pensar de forma a realizar associações não antes pensadas, ou seja, construir maneiras diferente de solucionar os problemas, sendo flexível às circunstâncias da vida; é utilizar nosso lado sensível, nossas emoções em prol de pensamentos mais saudáveis criando assim, um ambiente receptivo para que a criatividade possa emergir.


Enfim, termino este post dizendo que a criatividade tem a ver com a maneira que você enxerga o mundo. É a maneira que podemos expressar nossa face, nossa identidade no mundo. A singularidade do ser humano também está na manifestação da criatividade ao longo de sua vida. Deixe-se envolver pela experiência da criatividade e você verá, nada mais nada menos, que a sua face refletida no mundo.

Nosso Himalaia

Imagens são narrativas de momentos eternizados. Elas nos contam histórias, traduzem momentos e fazem a gente pensar. Essa fotografia manifesta um momento em que indianos puderam ver, depois de décadas, o Himalaia.

Trago esta foto para dizer a vocês que todos nós podemos enxergar o Himalaia em nossas vidas neste momento. Da mesma forma que um rio segue seu fluxo, nós estamos sendo chamados a ver nosso próprio Himalaia.

A metáfora traduz a possibilidade de acesso ao nosso mundo interior, nossas forças e nossas limitações. Compreender nossa participação no mundo sugere ver com maior clareza o nosso Himalaia.

Além disso, a imagem também nos faz pensar na relação dos seres humanos com o planeta Terra. Uma montanha que, nesse caso, não era admirada pelos indianos devido ao excesso de poluição no ar pode revelar que quanto estamos desconectados da natureza e do meio ambiente.

O convite é para que façamos uma reflexão para buscar novas formas de se relacionar, de trabalhar e de compreender que atitudes mais generosas com nosso planeta podem trazer maior clareza e compreensão da nossa visão de mundo e de nós mesmos. Créditos foto: @khawajaks