Qual o futuro das Artes?

Tudo está mudando e se transformando digitalmente. E a arte também acompanha essa mudança. Um exemplo disso os NFT’s que estão revolucionando o conceito de propriedade e de direito autoral pelo mundo todo.

Qual o futuro das Artes?
Qual o futuro das Artes?

Ao longo da história, as artes passaram por transformações significativas quanto às possibilidades e ferramentas de expressão. Ou seja, na medida com que novas ferramentas vão surgindo, novas formas de produzir e consumir a arte também são elaboradas.

Hoje em dia, a tecnologia ocupa um papel crucial na evolução e no futuro das artes, pois se tornou uma fonte importante facilitadora para seu desenvolvimento e sua projeção no futuro. 

Dentre as inúmeras formas de manifestação da arte, o digital e as tecnologias se destacam como grande tendência para o futuro. Além disso, as mudanças da sociedade e do mundo contemporâneo também levam a uma nova perspectiva das artes, com novas demandas e pautas que influenciam diretamente no futuro.

A contemporaneidade traz novos moldes e novos mundos artísticos, o que faz com que os artistas, a mídia, as indústrias e todo um mercado específico olhe para o futuro como um novo cenário para as artes digitais e os NFTs.

Quer se aprofundar no futuro das artes e compreender de que forma tudo isso está conectado? Neste post iremos abordar os diversos tipos de artes, as suas relações com a contemporaneidade e como a tecnologia é uma importante protagonista no cenário artístico do futuro.

Os diversos tipos de artes

A arte se manifesta de inúmeras formas, por meio de ferramentas distintas e processos singulares. Delimitá-la e defini-la de forma segregada é limitar as possibilidades de criatividade e manifestação artística no mundo.

A música, dança, teatro, pintura, fotografia, cinema e literatura são as manifestações artísticas clássicas e tradicionais que predominam no meio artístico por todo o mundo. Em contrapartida, novas vertentes são criadas sob a perspectiva de novos tempos, como é o caso das artes digitais e os NFTs.

Muitos intelectuais da área possuem teorias a respeito do que é arte e quais são os tipos de artes, porém, as ideias variam de acordo com cada teórico, o que não se pode ser analisado de forma rígida e implacável, visto que a arte é justamente expressões flexíveis, subjetivas e versáteis.

A linguagem com que é feita a comunicação na arte pode variar em diferentes níveis, formas e modelos, o que não interfere na mensagem e no sentimento que carrega cada manifestação artística. 

A arte e a contemporaneidade

O mundo contemporâneo trouxe para a arte um desejo de explorar novas possibilidades, de inovações, novas invenções e experimentações. De modo geral, a contemporaneidade oferece novas formas de interação com a arte e o artista, abrindo espaço para diferentes estímulos artísticos.

A pós-modernidade carrega novas narrativas, tanto na sociedade como nas expressões culturais e artísticas. A arte digital é um grande exemplo sobre a arte na contemporaneidade, pois desmistifica a ideia da arte como algo inflexível e mistura diversas ferramentas.

As diferentes linguagens são comumente utilizadas em conjunto no processo da arte contemporânea, causando no espectador uma conjuntura de sensações e interpretações subjetivas. 

A influência da tecnologia nas artes

Ao longo da história, a máquina ocupa um papel transformador nas sociedades e nas dinâmicas do ser humano, incluindo os processos artísticos. A tecnologia passa então, a ocupar o papel de ferramenta artística, possibilitando novas alternativas para a arte.

A interação entre a arte e a tecnologia é algo visível no mundo contemporâneo, com maior intensidade nos últimos anos. A cada nova invenção tecnológica e solução digital, a arte se potencializa e se adapta de acordo com novos mundos e novas realidades.

A tecnologia hoje faz parte do futuro das artes e desempenha um papel crucial no mundo contemporâneo. As artes digitais e NFTs são exemplos de artes do futuro que já adentraram as principais galerias pelo mundo, como a Art Basel na Suíça e a Hamptons Fine Art Fair em Nova Iorque.

Além das galerias, o museu Hermitage, conhecido como um dos maiores museus do mundo, também adentrou no mundo dos NFTs, mostrando como a tecnologia pode ser transformadora até mesmo em espaços conservadores.

O que são NFTS?

O NFT significa “non-fungible tokens” que traduzido para o português significa token-não-fungível, ou seja, são itens únicos e que não podem ser substituídos. Os NFTs funcionam basicamente como um selo de autenticidade de algum item, uma escritura de algo único e exclusivo.

Hoje ele é utilizado para músicas, jogos e principalmente artes digitais. Os NFTs permitem concretizar trabalhos artísticos no mundo virtual, por meio do universo blockchain. O blockchain é semelhante a uma cadeia de blocos, um banco de dados com fragmentos de informações e uma tecnologia que não pode ser violada.

Para entender melhor, imagine que exista uma grande biblioteca, a qual possui uma infinidade de livros e documentos exclusivos, o blockchain se assemelha à biblioteca e os livros e documentos são análogos aos NFTs.

Ao contrário do que muitos imaginam, os NFTs têm ganhado proporções expressivas no mundo todo, conquistando espaços em diversas feiras e eventos artísticos pelo mundo. No Brasil, o ArtRio, famosa feira de arte da América Latina, irá garantir espaços destinados exclusivamente às artes digitais em NFTs.

Na prática, os NFTs são importantes soluções tecnológicas para artistas do mundo inteiro, principalmente pela preservação da exclusividade de suas obras.

À medida que a arte se torna mais acessível, os números de plágios e cópias aumentam gradativamente, pois a tecnologia também possibilita com que artistas publicam suas obras com maior facilidade e logo, gerando maiores possibilidades de réplicas.

Além disso, os NFTs podem gerar retornos ainda mais significativos para as artes digitais, principalmente pela sensação de exclusividade que eles causam, fatores que influenciam os sujeitos a se sentirem especiais e importantes.

Conclusão

A tecnologia vem mudando as expressões artísticas em uma perspectiva global, com isso, as artes digitais e os NFTs representarão uma nova realidade artística, reflexo de novos tempos e de novas sociedades.

As artes do futuro irão movimentar uma nova realidade, a qual condiz com as novas demandas da sociedade, seus problemas e soluções. É preciso estar atento a essas transformações e compreender as artes digitais e artes criptografadas como protagonismo de uma nova